domingo, maio 03, 2015

Essa Pizza Pode Queimar a Vergonha Nacional

Leia este artigo do jornalista mineiro Márcio Dotti, publicado na sua página no Facebook:

ESSA PIZZA PODE QUEIMAR A VERGONHA NACIONAL

Não é preciso ser costureira para confeccionar uma imensa pizza com os panos sagrados da Bandeira Nacional. Basta juntar os retalhos desse imenso escândalo e desse momento repugnante da vida brasileira. Nada contra em se juntar argumentos jurídicos convincentes para o pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef. Mas não é preciso ser tão passivo diante de fatos estarrecedores como esse enfraquecimento das ações contra empresários que estavam presos por ordem de um juiz corajoso, o juiz Moro, e que agora foram soltos por ordem da maior instância judicial do país, o Supremo Tribunal Federal, ainda que por uma nítida divisão entre os votos da turma que julgou o pedido de soltura. 


Os próprios advogados dos ex-presos reconhecem que isso enfraquece as delações premiadas e também o juiz Moro. Também foi tímido o grito de protesto contra a utilização de parte do Fundo de Garantia, um dinheiro do trabalhador brasileiro, agora empregado para esquentar as turbinas do BNDES. Foi assim que o dinheiro da Previdência correu para o ralo e quem paga por isso é a imensa massa de aposentados, ou melhor dizendo, massa de trabalhadores tratados à míngua na aposentadoria porque se alega falta de dinheiro. O dinheiro foi gasto em empreguismo, empréstimos cujos valores não foram corrigidos quando cobrados dos felizes proprietários que chegaram ao absurdo de pagar de prestação habitacional o equivalente a uma passagem de ônibus. 

E não nos esqueçamos das fraudes e mais fraudes com o dinheiro da Previdência. Pouco barulho se ouviu por mais essa solapada no dinheiro do FGTS. A primeira foi a criação do FAT, o Fundo de Amparo ao Trabalhador. Muita empresa saiu com bolsos cheios de dinheiro injetado a título de formar melhor o trabalhador. No Congresso, ouvem o governo e deixam para o próximo ano a reavaliação da dívida dos estados. Em troca, permitem aos estados e municípios que se utilizem do dinheiro de precatórios, dinheiro de cidadãos, depositado à espera de decisões judiciais e que certamente vai faltar na hora em que as decisões saírem. 

E por último, vale considerar o comentário do ex-diretor da Petrobras para quem o que aconteceu na Petrobras também ocorreu em outros empreendimentos públicos. Para descobrir, basta a justiça se aprofundar. Aprofundar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário