quinta-feira, dezembro 22, 2011

Mensagem de Natal

Na semana do Natal desejo aos meus amigos e leitores do meu Blog um Feliz Natal e que as alegrias pelo nascimento do Menino Jesus se extendam por todos os dias do Ano Novo que se aproxima, trazendo muita saúde, paz e alegria. Um abraço franciscano. Altair Costa (Tachinha)

In the week of Christmas I wish to my friends and readers of my Blog a Merry Christmas and that the joys by birth of baby Jesus may extend for every day of the new year approaching, bringing a lot of health, peace and joy. A Franciscan hug. Altair Costa (Tachinha, my nickname)

Nella settimana del desiderio di Natale ai miei amici e lettori del mio Blog un buon Natale e che le gioie di nascitá del bambino Gesù se extender per ogni giorno dell'anno nuovo avvicinarsi, portando un sacco di salute, pace e gioia. Un abbraccio francescano. Altair Costa (Tachinha)

Dans la semaine du souhait de Noël à mes amis et lecteurs de mon Blog un joyeux Noël et que les joies de la naissance du bébé Jesus si Extender pour chaque jour de la nouvelle année s'approchant, apportant beaucoup de santé, la paix et la joie. Un câlin franciscain. Altair Costa (Tachinha)

In der Woche Weihnachten Wunsch, meine Freunde und Leser meines Blogs ein frohes Weihnachtsfest und das baby die Freuden von Geburt von Jesus, wenn Extender für jeden Tag des neuen Jahres nähern, bringen eine Menge von Gesundheit, Frieden und Freude. Eine Franziskaner Umarmung. Altair Costa (Tachinha)

Leia este artigo publicado pelo César Techio no seu blog. O César é ex-seminarista franciscano do Seminário de Luzerna, em Santa Catarina.

NATAL NA ESTREBARIA

Cesar Techio
Economista – Advogado
cesartechio@gmail.com

O nobre casal Maria e José, por ocasião do nascimento de seu filho, em nada difere dos casais pobres, sofridos e hipossuficientes dos dias de hoje. Ela grávida, viajaram de Nazaré, na Galiléia, para Belém, na Judéia, para atender um decreto do Imperador Romano Cesar Augusto, que determinava que todos voltassem à terra natal para se registrar devido a um novo recenseamento. Chegando à cidade, todas as hospedarias estavam lotadas. Ela prestes a parir, procuraram um local qualquer, devido à extrema urgência. Encontraram uma estrebaria, cocheira ou estábulo e se ajeitaram como puderam em meio ao mau cheiro de excrementos dos animais. Tratava-se de um jovem e desesperado casal tentando encontrar um lugar descente para receber o neném, adentrando num lugar fétido, sem iluminação ou qualquer estrutura sanitária e higiênica. Maria obrigou-se a deitar em meio a palhas sujas e animais assustados. Longe de qualquer estrutura familiar, sem qualquer apoio humano ou logístico, sem qualquer estrutura de saúde, ela concebeu o bebê. Estas foram as verdadeiras e chocantes condições do quadro real que emoldurou o nascimento de Jesus, comemorado no dia 25 de dezembro. Infelizmente, o verdadeiro natal foi diferente dos sonhos de natais que povoam a imaginação consumista dos nossos tempos.

A festa celestial que acompanhou o nascimento de Jesus, com anjos avisando pastores que correram para vê-lo, também em nada se assemelha a realidade histórica da humanidade. Crianças, quando não assassinadas ainda no seio da mãe, nascem em meio a uma realidade sócia, política e econômica atroz. Só na Coréia do Norte, cuja morte do louco ditador Kim Jong-il se verificou no dia 17 de dezembro, crianças nascem e passam a vida toda em campos de concentração nos quais mais de 200 mil pessoas, seus pais e mães, se encontram encarcerados por motivos puramente políticos. Em época de paz, como a que vivemos no Brasil, a miséria devastadora humilha incontáveis crianças que nascem na pobreza, nas estrebarias da vida, muitas vezes bem na frente do nosso nariz egoísta, dos nossos olhos egocêntricos e da nossa riqueza ostensiva. Nesta perspectiva natalícia, miserável e criminosa, de dor e tristeza encravada no nascimento e no destino de milhões de crianças, o quadro poético do natal deve ceder a fortes ações de filantropias e a um melhor amadurecimento do conceito de responsabilidade social. Comece, neste natal, levando seus filhos para visitar outras crianças desprovidas. Leve presentes natalinos e se associe a eles durante o ano de 2012 e nos anos que se seguirem. Ajude em tudo o que a sua família puder (pré-natal, material escolar, uniformes, ranchos mensais, matrículas e mensalidades em cursos diversos, etc.). Não pratique um ato isolado. Adote uma sistemática integrada, planejada e estratégica para colaborar permanentemente com crianças necessitadas a fim de que elas viabilizem o seu próprio futuro. Crie uma cultura de solidariedade. Só assim o Natal existencial vai valer a pena. E considere que, “ações esporádicas, doações e outros gestos de caridade não vinculados à uma estratégia permanente não podem ser considerados como atuação de responsabilidade social. Grande parte das pessoas e empresas que acreditam estar sendo socialmente responsável pratica, na realidade, caridade e paternalismo.” (Elenice Roginski Santos)



x.x.x.x.x.x.x.x.x

Com esta bel música da cantora Enya, desejo aos meus amigos e leitores do meu Blog um Feliz Natal e que as alegrias pelo nascimento do Menino Jesus se extendam por todos os dias do Ano Novo que se aproxima, trazendo muita saúde, paz e alegria. Um abraço franciscano. Altair Costa (Tachinha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário