sexta-feira, fevereiro 26, 2010

Cervejinha de quinta-feira: 25 de fevereiro de 2010.

A cervejinha desta quinta-feira contou com as presenças de, da esquerda para a direita: Tachinha, Eustáquio Tadeu (Siri), Manoel Gomes (Seriema), Carlos César (Palito), Carlos Augusto (Coelhinho) e Amaury. Apareceram também por lá o Aloísio Tirado (Jaó), Valjean (Canela) e Francisco Motta (Chiquinho Motta).

Ouça esta bela música Mystera com o grupo Era.

quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Curso de Canto Gregoriano - Gregorian Chant Course

Veja abaixo um slideshare de um curso de canto gregoriano em Power Point que achei na Internet e cujo autor eu desconheço.
Traduzi o curso do inglês para o português com a ajuda desta página de tradução: Tradukka
A versão em inglês você pode ver nestes dois endereços: Coral Gregoriano de Belo Horizonte e na página do Slide share
Clique em FULL para ver o curso na tela inteira.

quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Papagaio venezuelano

Esta ode ao Hugo Chaves foi enviada pela Angélica, ex-colega de serviço do Tachinha.

En Caracas, un niño regresa de la escuela a su casa, cansado y faminto y le pregunta a su mamá
- Mamá, que hay de comer?
- Nada, mi hijo.

El niño mira hacia el papagayo que tienen y pregunta:
- Mamá, por qué no papagayo con arroz?
- No hay arroz.

- Y papagayo al horno?
- No hay gas.

- Y papagayo en la parrilla eléctrica?
- No hay electricidad.

- Y papagayo frito?
- No hay aceite.

El papagayo contentísimo gritó:

PUTA QUE LO PARIÓ, VIVA HUGO CHAVES!!!

Agora, em bom português, a explosão de alegria de um papagaio venezuelano.

Em Caracas, um menino volta da escola para a sua casa, casado e faminto e pergunta para a sua mãe
- Mamãe, o que tem para comer?
- Nada, meu filho.

O menino olha para o papagaio que tem e pergunta:
- Mamãe, por que não papagaio com arroz?
- Não tem arroz.

- E papagaio assado?
- Não tem gás.

- E o papagaio no forno elétrico?
- Não tem eletricidade.

- E papagaio frito?
- Não tem azeite.

E o papagaio contentíssimo gritou:

PUTA QUE PARIU, VIVA HUGO CHAVES!!!

En Caracas, un niño regresa de la escuela a su casa, cansado y faminto y le pregunta a su mamá
- Mamá, que hay de comer?
- Nada, mi hijo.

El niño mira hacia el papagayo que tienen y pregunta:
- Mamá, por qué no papagayo con arroz?
- No hay arroz.

- Y papagayo al horno?
- No hay gas.

- Y papagayo en la parrilla eléctrica?
- No hay electricidad.

- Y papagayo frito?
- No hay aceite.

El papagayo contentísimo gritó:

PUTA QUE LO PARIÓ, VIVA HUGO CHAVES!!!

En Caracas, un niño regresa de la escuela a su casa, cansado y faminto y le pregunta a su mamá
- Mamá, que hay de comer?
- Nada, mi hijo.

El niño mira hacia el papagayo que tienen y pregunta:
- Mamá, por qué no papagayo con arroz?
- No hay arroz.

- Y papagayo al horno?
- No hay gas.

- Y papagayo en la parrilla eléctrica?
- No hay electricidad.

- Y papagayo frito?
- No hay aceite.

El papagayo contentísimo gritó:

PUTA QUE LO PARIÓ, VIVA HUGO CHAVES!!!

En Caracas, un niño regresa de la escuela a su casa, cansado y faminto y le pregunta a su mamá
- Mamá, que hay de comer?
- Nada, mi hijo.

El niño mira hacia el papagayo que tienen y pregunta:
- Mamá, por qué no papagayo con arroz?
- No hay arroz.

- Y papagayo al horno?
- No hay gas.

- Y papagayo en la parrilla eléctrica?
- No hay electricidad.

- Y papagayo frito?
- No hay aceite.

El papagayo contentísimo gritó:

PUTA QUE LO PARIÓ, VIVA HUGO CHAVES!!!

En Caracas, un niño regresa de la escuela a su casa, cansado y faminto y le pregunta a su mamá
- Mamá, que hay de comer?
- Nada, mi hijo.

El niño mira hacia el papagayo que tienen y pregunta:
- Mamá, por qué no papagayo con arroz?
- No hay arroz.

- Y papagayo al horno?
- No hay gas.

- Y papagayo en la parrilla eléctrica?
- No hay electricidad.

- Y papagayo frito?
- No hay aceite.

El papagayo contentísimo gritó:

PUTA QUE LO PARIÓ, VIVA HUGO CHAVES!!!

terça-feira, fevereiro 23, 2010

Artigo do Rosário: Salvação

Segue abaixo mais um artigo enviado pelo Rosário Resende. Os artigos enviados por ele, normalmente são os que saem publicados na seção de cartas do jornal O Tempo.

Paz plena...
Irmãos de caminhada evolutiva, um grande e fraternal abraço.
Cada um tem o direito de falar o que bem entender, mas não podemos ficar falando coisas por ouvir falar. Está escrito:
"Em verdade, em verdade, te digo: falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos, porém não acolheis o nosso testemunho" (João 3,11).
Também está escrito: "Então, se alguém vos disse: 'Olha o Cristo aqui!' ou 'ali', não creiais. Pois hão de surgir falsos Cristos e falsos profetas, que apresentarão grande sinais e prodígios de modo a enganar, se possível, até mesmo os eleitos. Eis que eu vo-lo predisse" (Mateus 24, 23 a 25).
Jesus quando se referiu a falsos Cristos, ele estava se referindo a espíritos livres da matéria bruta e quando falou dos falsos profetas, ele estava se referindo aos seres humanos, que são espíritos encarnados.
O último texto do meu artigo foi modicado pelo editor, pois saiu escrito assim no jornal: "Em nenhum momento Jesus cita no Evangelho a necessidade de crer e de ter fé para ser salvo". Ao passo que eu escrevi: "Em nenhum momento Jesus cita a necessidade do crer e do ter fé no Evangelho para ser salvo, como escreveu o leitor".
Mas mesmo assim o recado foi dado e vamos ver se o leitor Wellerson Silva vai responder alguma coisa.
Paz plena... Rosário.

231 - Chaves (Salvação) - publicadas em 04/10/2009.
Vou escrever sobre o comentário do leitor Wellerson Silva (Leitor 30/9), quando o mesmo faz referência ao artigo do Reis Chaves: “Conhecendo um pouco do cristão fundamentalista” (Opinião28/9). O leitor escreveu: “Eu tenho a salvação porque creio no Evangelho”, essa forma de dizer é bem contrária a vários ensinamentos, que encontramos nos Evangelhos. Vou citar apenas esse: “O último julgamento” (Mt 25,31 a 46), onde ficou muito claro que os salvos foram os que deram de comer e beber a quem tinha fome e sede, que recolheram os forasteiros, que vestiram os nus, que visitaram os presos e os doentes. Em nenhum momento Jesus cita a necessidade do crer e do ter fé no Evangelho para ser salvo, como escreveu o leitor.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 30/09/2009.

Veja este vídeo com a música Evita. Ele faz parte, também, da página do Cistvansm que tem muitos vídeos bonitos.

domingo, fevereiro 21, 2010

Curiosidades de um país de loucos

Esta aberração da política brasileira eu recebi num e-mail enviado pelo Leonardus (Leo) van Geleuken. Ele é holandês e mora no Brasil há muitos anos e, com toda a razão, está indignado com situações como estas que ocorrem no nosso Brasil, o país do futuro e do Carnaval.

CURIOSIDADES DE UM PAÍS DE LOUCOS

Um motorista do Senado ganha mais para dirigir um automóvel do que um oficial da Marinha para comandar uma fragata!

Um ascensorista da Câmara Federal ganha mais para servir os elevadores da casa, do que um oficial da Força Aérea que pilota um Mirage.

Um diretor que é responsável pela garagem do Senado ganha mais que um oficial-general do Exército que comanda um regimento de blindados.

Um diretor sem diretoria do Senado, cujo título é só para justificar o salário, ganha o dobro de um professor universitário federal concursado, com mestrado, doutorado e prestígio internacional.

Um assessor de 3º nível de um deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas que não passa de um "aspone" ou um mero estafeta de correspondências, ganha mais que um cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com muitos anos de formado, que dedica o seu tempo buscando curas e vacinas para salvar vidas.

Precisamos urgentemente de um choque de moralidade, nos Três Poderes da República , estados e municípios, acabando com os oportunismos e cabides de emprego.

Os resultados não justificam o atual número de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores.

Temos que dar fim a esses "currais" eleitorais, que transformaram o Brasil numa oligarquia sem escrúpulos, onde os negócios públicos são geridos pela brasiliense "Cosa Nostra". O país do futuro jamais chegará a ele sem que haja responsabilidade social e com os gastos públicos.

Já perdemos a capacidade de nos indignarmos. Porém, o pior é aceitarmos essas coisas, como se tivesse que ser assim mesmo, ou que nada tem mais jeito.

Vale a pena tentar.

Participe deste ato de repulsa.

Escolha: - repasse ...... Ou - seja omisso!!

A decisao é sua !!!!!!!!!!!