sábado, fevereiro 20, 2010

Cervejinha de quinta-feira: dia 18 de fevereiro de 2010.

A cervejinha desta quinta-feira contou com as presenças de, da esquerda para a direita: Tachinha, Jaburu, Carlos Augusto (Coelhinho) e Amaury e lá no balcão os garçons.

 Depois apareceram o Roberto (amigo do Paulo), Paulo Petermann e Antônio Márcio (Bangalão) e um violeiro da noite. O Bangalão, ao lado do Tachinha, apareceu de cara nova pois cultivava há muitos anos um bigode parecido com os bigodes dos leões-marinhos.

Para desintoxicar da cervejinha veja/ouça este vídeo com belas paisagens.

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

O gol mais bonito de Tostão.

Este texto foi enviado pelo Ivo José, amigo da turma do Enfrades - ex-seminaristas franciscanos.

O presidente Lula e a Associação dos Campeões Mundiais do Brasil negociam aposentadoria e indenização para os atletas da seleção que ganharam Copas do Mundo. O benefício valerá inicialmente aos ex-jogadores de 1958 e se estenderá, posteriormente, a quem atuou nos Mundiais de 1962, 1970, 1994 e 2002. Reunião na Casa Civil discutiu as cifras a serem pagas aos campeões.
Inicialmente, o valor negociado para cada um gira em torno de mil salários mínimos, no caso da indenização (465 mil reais), e de dez salários mínimos (4.650 reais), o teto da Previdência, para a aposentadoria. A expectativa é que o anúncio da nova medida seja feito pelo governo na próxima semana. *


*O texto abaixo foi escrito por **TOSTÃO,** ex-jogador de futebol e campeão mundial na copa de 1970, comentarista esportivo, escritor e médico, e foi publicado em vários jornais do Brasil:*

Tostão escreveu:-
*Na semana passada, ao chegar de férias, soube, sem ainda saber detalhes, que o governo federal vai premiar, com um pouco mais de R$ 400 mil, cada um dos campeões do mundo, pelo Brasil, em todas as Copas.
Não há razão para isso. Podem tirar meu nome da lista, mesmo sabendo que preciso trabalhar durante anos para ganhar essa quantia.

O governo não pode distribuir dinheiro público. Se fosse assim, os campeões de outros esportes teriam o mesmo direito. E os atletas que não foram campeões do mundo, mas que lutaram da mesma forma? Além disso, todos os campeões foram premiados pelos títulos. Após a Copa de 1970, recebemos um bom dinheiro, de acordo com os valores de referência da época.
O que precisa ser feito pelo governo, CBF e clubes por onde atuaram esses atletas é ajudar os que passam por grandes dificuldades, além de criar e aprimorar leis de proteção aos jogadores e suas famílias, como pensões e aposentadorias.

É necessário ainda preparar os atletas em atividade para o futuro, para terem condições técnicas e emocionais de exercer outras atividades.
A vida é curta, e a dos atletas, mais ainda.

Alguns vão lembrar e criticar que recebi, junto com os campeões de 1970, um carro Fusca da prefeitura de São Paulo. Na época, o prefeito era Paulo Maluf. Se tivesse a consciência que tenho hoje, não aceitaria. Tinha 23 anos, estava eufórico e achava que era uma grande homenagem.

Ainda bem que a justiça obrigou o prefeito a devolver aos cofres públicos, com o próprio dinheiro, o valor para a compra dos carros.
Não foi o único erro que cometi na vida. Sou apenas um cidadão que tenta ser justo e correto. É minha obrigação.

Tostão

Será que o Maluf devolveu o tal dinheiro??? No Brasil a Justiça não funciona para ele.
Veja/ouça este belo vídeo com música do Medwin Goodall.

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

A riqueza depois dos 40...

Esta "descoberta" foi enviada pelo "geólogo" Márcio Nascimento, antigo companheiro das peladas do Tachinha e filho do Manoel Gomes (Seriema)

A riqueza depois dos 40...

"Nunca pensei que a partir dos 40 anos pudéssemos ter uma riqueza tão grande!!!
Prata nos cabelos. Ouro nos dentes. Pedras nos rins. Açúcar no sangue.
Chumbo nos pés. Ferro nas articulações.. E uma fonte inesgotável de gás natural..."

Falecimento Cesário Dulci

Esta postagem é para dar notícia aos ex-seminaristas franciscanos que estudaram no Seminário Seráfico Santo Antônio, em Santos Dumont, principalmente os que estudaram nas décadas de 1940 a 1960. Faleceu lá em Santos Dumont, no dia 15 de fevereiro, aos 94 anos, o Sr. Cesário Dulci. O Cesário e a sua família foram grandes colaboradores na vida do seminário, principalmente nos primeiros anos da nossa casa.
Ele era padrinho de crisma do Tachinha e tinha 10 filhos, dentre os quais o Estevão que estudou lá no seminário e o Luiz Dulci, secretário-geral da Presidência da República.
O Tachinha estava visitando o seminário e foi ao velório dar o último adeus ao nosso colaborador e dar um abraço aos seus filhos, com os quais o Tachinha tinha muito contato nos tempos do 4º ano primário.

Veja abaixo este belo vídeo sobre a cidade de Viena e ouça uma das grandes valsas de Strauss.