sexta-feira, julho 16, 2010

Caso do goleiro Bruno. - Artigo do Rosário

Desgraça pouca é bobagem após este rumoroso, triste e hediondo crime da morte de Elisa Samúdio que é atribuído ao goleiro Bruno e, para variar, os hackers e internautas do mau aproveitando todo tipo de desgraça para se aproveitar da situação e espalhar vírus e outras maldades pela Internet, como este e-mail que recebi informando sobre vestígios de ter sido encontrado o corpo da vítima.


Olá, Estou te mandando algumas fotos dos possíveis vestigios que levaram a policia a encontrar o corpo de Elisa Sámudio.

As imagens estão no anexo.

http://www.viniconãoseioque.jpg

1 Anexo Baixar: http://novocadastro.jpg

Leia abaixo um artigo enviado pelo Rosário - nosso amigo do Enfrades - sobre o caso Bruno e publicado no jornal O Tempo.

Paz plena...
Irmãos do ENFRADES, um grande abraço.
Digo que o caso Bruno e Eliza mexeu com o meu estado interior, como deve ter mexido com muita gente. Não estou julgando, mas procurando meios de entender todos esses dramas humanos pelos seres humanos.
Em anexo a esse e.mail vou enviar o que já tinha escrito, antes de viajar para o nosso encontro de 9 a 11 de Julho de 2010.
Agradeço a todos, pois nesses encontros continuo aprendendo a viver como um SER CÓSMICO, mas oculto num corpo de carne.
Paz plena... O amigo e companheiro, Rosário.

P. S.: Eis que o já escrevi:
O Caso Bruno e Eliza
Vou utilizar deste exemplo da vida de dois jovens para mostrar a VERDADE da caminhada evolutiva de cada espírito criado simples e ignorante.
Todos tentam encontrar os culpados ou o culpado de todos os erros: 1º - O demônio. 2º - Deus. 3º - Eva. 4º - Adão. 5º - A sociedade. 6º - O outro e etc. Mas nunca ninguém pensa em si mesmo e qual foi a sua participação ou omissão em tudo aquilo que condena. Cada um é o único responsável por todos os seus atos, então nada acontece por acaso e nem é fruto do simples caos.
Bruno: ele foi gerado por dois jovens, que só queriam praticar sexo, esquecendo que o ato sexual pode gerar frutos: um filho ou uma filha.
O pai jovem abandonou a jovem mulher grávida. A mãe abandonou o filho com uns três anos de vida. Que educação de ética e de vida recebeu o Bruno em função dos exemplos deixados pelos próprios pais dele e da vida familiar?
Quem foi o espírito, que reencarnou e recebeu o nome de Bruno, em vidas passadas e por que ele teve que nascer como nasceu? Ele então está colhendo o que plantou em vidas passadas e quando foi que tudo isso aconteceu? Ele não se lembra de nada e ainda bem que não se lembra. Isso é um meio de fazer com que cada um consiga quitar suas dívidas (Mt 5,26) e continuar na busca de seu aperfeiçoamento ético e moral (Mt 5,48).
Começou a jogar no gol do CAM, o Galo, e, em função dos interesses financeiros de aproveitadores, como era um bom goleiro a fama cresceu e o Bruno virou um ídolo. Um jovem educado na pobreza passa a ganhar “rios de dinheiro”, então a fama e o dinheiro transformaram-no num ídolo de barro e ele começa a se julgar por cima de “toda a cocada preta, que é gostosa e envolvente”.
Mulheres bonitas entregaram-lhe o corpo, o prazer do sexo é terrível, envolvente e quase irresistível, o dinheiro atrai mais “falsos amigos” e “muitos aproveitadores”.  
Nessa altura surge uma “moça esperta” e fica grávida, pois sabia da possibilidade de uma “gorda pensão”, que teria direito. Um filho seria um ótimo investimento.
E tudo se complicou, pois não havia AMOR vivido e convivido.
Eliza: uma jovem, que viu os pais brigarem e ficou sem a mãe. Cresceu, ficou bonitona e, como também ficou sem a “verdadeira educação ética e moral”, ela foi envolvida facilmente por homens interessados no corpo dela e no dinheiro, que poderia vir daquele belo corpo feminino. Estes homens a transformaram numa atriz de filmes pornô, ela passou a vender o que tinha de valor para homens irresponsáveis: o corpo dela. E assim o dinheiro passou  a entrar com facilidade e também se esvaia.
Quem foi e é também esse espírito que está sendo testado e provado num corpo de carne?  
Ela viu naquele ingênuo e rico ídolo, o Bruno, o meio de resolver seus “dramas financeiros futuros” com a pensão de um filho, decidiu ter o filho e engravidou.
Isso tudo parece um filme de ficção, mas trata-se da vida pessoal de um jovem casal.
Tudo errado, pois não existiu o cerne ou a base do AMOR e da fidelidade plena com relação ao ato sexual, que deveria ser o “complemento do amor conjugal, fiel e amoroso”, mas só o sexo era desejado pelo jovem e, inicialmente também pela jovem, pois já ganhava por conta do sexo. Na realidade o maior desejo estava só no prazer humano e na orgia de irresponsáveis seres humanos, que agiam como animais irracionais.
Ela decidiu usar além do sexo, um provável filho para conseguir uma vultosa pensão e tudo se complicou, pois faltou o verdadeiro amor.
Agora os bajuladores de antes, que transformaram o Bruno num “falso ídolo” querem também a sua caveira, pois o assunto gera IBOPE e da força à mídia. Falta AMOR, compreensão e até perdão por parte de quase todos.
(Rosário – 08/07/2010).
 

P.S. Alguns leitores do Blog do Tachinha estão reclamando que o mesmo está travando o computador de quem o acessa. Estou tentando ver qual é o problema e tirando alguns "penduricalhos" (widgets) que estão no Blog e passando para o outro Blog Canto Gregoriano além de ter diminuído de 15 para 8 as postagens de cada página e espero que agora resolva ou minimize o tal problema de travamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário