sábado, agosto 15, 2009

Artigo do Frei Cristóvão: Compromisso e Envolvimento.

COMPROMISSO E ENVOLVIMENTO

1. Uma primeira aproximação da temática (Visão genérica)

São dois conceitos que se exigem, se perfazem reciprocamente. Um não vai sem o outro; ao contrário se imbricam, se entrelaçam.
Temos aqui um típico exemplo do que se entende por dialética inclusiva.
Dialética é o pensamento em movimento: Tese x Antítese: Síntese. A síntese se transforma em tese que tem sua antítese que, por sua vez, desabrocha numa nova síntese que transforma em tese. E assim vai.

A x B: C. C contém A e B e algo mais que os ultrapassam.
(“Conforme: O QUE É DIALÉTICA”, Pereira Cristóvão, in “A Revolução da Cordialidade, a Mulher no Novo Paradigma Civilizacional”, Belo Horizonte, 2003:41-43).

2. Uma segunda aproximação da temática (Visão específica)

Especificando o tema, poderíamos, numa visão sintética, dizer que o conceito “Compromisso” apela mais para a razão, buscando mais a dimensão objetiva, lógica, racional do tema proposto para a nossa Oficina. Exige uma metodologia de cunho dedutivo.

Já o conceito “envolvimento” seria mais de cunho pessoal, existencial. Falaria mais ao coração, à vida, à existência. Impõe uma metodologia de cunho fenomenológico.

O primeiro busca mais a essência da coisa em si. Procura definir as coisas.
Já o segundo se contenta mais em descrever do que explicar as coisas. Temos, então, a distinção entre essência (Razão), e existência (Coração).
E não nos esqueçamos de que “o coração tem razões que a própria Razão desconhece” (W.Shaskespear). E de que “o essencial se vê com o coração e não com os olhos” Antoine de Saint-Exupéry – “Pequeno Príncipe”).

3. Alimentar o Compromisso

Como? Pelo processo de conscientização.
Consciência-conscientização.
Consciência no sentido de mundividência, de cosmovisão. De leitura, compreensão, hermenêutica da Realidade.

4. Tipos de consciência
a. Consciência ingênua: as coisas são assim porque são assim; por força de sua natureza. A coisa complica quando se crê que a Realidade se apresenta como tal por vontade de Deus! Fala-se, então, em destino. Estamos à beira da fatalidade, do fatalismo. Não dá para mudar a Realidade; resta-nos a ela nos submetermos!

b. Consciência mitológica ou totêmica. O Mundo, a Realidade, a História são dirigidos e governados por forças superiores, misteriosas, divinas das quais dependemos. Cabe a nós respeitá-las e segui-las.

c. Consciência alienada. Alienado vem do latim “alienus”, isto é, alheio, de outro, de outrem. Algo de que não me é próprio. É pensar com a cabeça dos outros; a partir do meio em que se vive; dos jornais e noticiários que lê e assiste. “É uma Maria que vai com as outras”. “Anjinho de presépio”.

c. Consciência Crítica.
Os conceitos “Crise – Crítica” são muitos ricos. Veja na minha obra acima referida onde analiso a semântica do conceito “Crise”.
Uma consciência crítica busca as raízes, as causas que sustentam a Realidade. Busca o porquê das coisas. Quer uma explicação estrutural dos fatos, da Realidade, da História.

O mundo, a Sociedade, os fatos, a História são criações nossas. Uma vez que fomos nós que os criamos, nós também podemos recriá-los, mudá-los, transformá-los. Para os cristãos, o “Homo” é co-criador do Mundo.

5. Aplicação, no caso, para o MFC (Movimento Familiar Cristão)

O Compromisso será mais firme e consistente na proporção de uma maior conscientização do que venha a ser o MFC. Sua identidade, origem, evolução, história, serviço aos valores humano-cristãos em prol da Família. Suas publicações, serviços prestados à Juventude, ao casal, à Família. Equipes de Base, Equipe Familiar de Base (EFB). Encontros de Jovens, Pastoral Pré-Matrimonial, Encontros de casais, Retiros, Encontros de Formação, Encontros Regionais, Conselhos Estaduais, Encontros Nacionais, Latino-Americanos,os INFA (Institutos da Família).
Estamos aqui no nível do racional, do objeto. São realidades concretas verificáveis.

O Envolvimento

O casal, os filhos participando das Equipes de Base, das EFB,e demais promoções do Movimento passam a experienciar, vivenciar o projeto, a proposta do Movimento.
Estamos aqui no nível da Vida, do apelo à mudança do coração; do convite à mudança de vida, de sua consciência.

Um convite para uma revisão do relacionamento conjugal, familiar e social.
A Pedagogia Participativa, onde cada um entra com sua experiência no que comporta de positivo e de negativo; a troca de idéias e apoio mútuo criam o clima de que o projeto do MFC (Compromisso) é enriquecedor e humanizador; com isso há mais abertura para um compromisso-envolvente com a causa do MFC.

6.
A dialética masculino x feminino: Na convivência e intimidade do casal, o masculino engendra o feminino e vice-versa. Somos seres andrógenos. Dentro de cada homem mora e se esconde uma mulher; dentro de cada mulher mora e se esconde um homem.

A dialética Pais e Filhos. Educar para a Liberdade e para a Justiça. O diálogo no processo educacional. O Conselho de Família. Educar para a responsabilidade. A autonomia dos filhos é a razão de ser da paternidade e da maternidade. Os filhos são vocacionados a se tornar pais de seus pais; e os pais, filhos de seus filhos.

O Social: somos condicionados pelo meio ambiente onde vivemos, pela Sociedade que construímos. Se fomos nós que a construímos, nós também podemos mudá-la, transformá-la. Participação política. O exercício da “Cidadania Ativa”.

Com isso o Conjugalismo, o Familiarismo e o Social constituem um processo contínuo que se perfazem.

8. Veja meus artigos:
• Poder e Autoridade
• A dimensão libertadora do Poder
• A Arte de ser pai-mãe é deixar de ser pai-mãe
• Educar para a Liberdade e para a Justiça
• A palavra é a morada do ser.
• O exercício da cidadania ativa
• A Família na Atualidade
• A Crise Financeira mundial (I-II-III)

Frei Cristóvão Pereira, ofm.
freicristovao@gmail.com

sexta-feira, agosto 14, 2009

Cervejinha de quinta-feira: 13 de agosto de 2009.

A cervejinha desta quinta-feira contou com as presenças de, da esquerda para a direita: Tachinha, Quinho, Amaury, Noraldino (Chibeta), Marcelo Brandão, Afrânio Cheib, Carlos Augusto (Coelhinho), José Vicente (Feijão) e Carlos César (Palito).
O José Derval saiu antes e o Antônio Márcio (Bangalão) chegou depois da foto.

quinta-feira, agosto 13, 2009

Piadas de português

Leia abaixo mais umas piadas de português enviadas pelo José Lembi (Pelado).

As 5 melhores do Manoel Português....

AMOR OU INTERESSE ?

- Diga-me, Manoel, tua mulher faz sexo com você por amor ou por interesse?
- Olha, Joaquim, eu acho que é por amor...
- Como é que você sabe?
- Porque ela não demonstra nenhum interesse!!


MANOEL NA ZONA

Manuel chega na zona, louco por um programinha e pergunta pra cafetina:
- Quanto está a custaire o coito com uma das meretrizes?
- Depende do tempo! diz a cafetina.
- Pois, baim... Suponhamos que chova...

MANOEL NO RESTAURANTE

O Manoel entra no restaurante e pergunta:
-Por favor, me dá uma bacalhoada!
- Ao que o atendente pergunta:
- Já sei! O senhor é português?
- Como descobriste? Foi por causa do meu sotaque ou pelo fato de eu ter pedido bacalhoada?
- Nem um nem outro... É que aqui é o Mc Donald's!!!

MANOEL NO BRASIL

O Manoel estava voltando da viagem que fizera ao Brasil. Chegando no aeroporto, seu amigo Joaquim o esperava.
- E aí,Manoel, como foi de viagem?
- Muito bom...
- E o que tu mais gostaste no Brasil??
- Ah, das praias, da mulherada! É uma maravilha!!!!
- E do que tu não gostaste???
- Ah, das escadas rolantes...
Tu acreditas que, um dia, eu estava subindo e acabou a energia elétrica...
Eu fiquei lá, parado, em pé, por mais de 2 horas!!!
- Ê, Manoel, mas tu és burro. hein!!!! Por que tu não te sentaste???

MANOEL E O LEPROSO

O Manoel foi preso numa cela em frente à de um leproso.
Dia após dia, ele observava o leproso cuidando de suas feridas.
Até que, certa vez, caiu um dedo do leproso.
Este o pegou e o atirou pela janela.
Uma semana depois, caiu outro dedo e o leproso atirou-o pela janela.
Algum tempo depois, caiu uma orelha, o leproso atirou-a pela janela.
Uma semana depois, caiu o pé, o leproso atirou-o pela janela.
Aí, o Manoel não agüentou mais e pediu uma audiência com o Diretor..
- Olha, senhor diretor, eu não quero ser chamado de dedo duro, mas o gajo que está na cela em frente a minha está fugindo aos pouquinhos.

domingo, agosto 09, 2009

Cervejinha de quinta-feira: 06 de agosto de 2009.

A cervejinha desta quinta-feira contou com as presenças de Jaburu, José Derval, Aloísio Tirado (Jaó), Carlos Augusto (Coelhinho), Carlos César (Palito), Paulo Petermann e um amigo, Ronald Claver e seu filho Tiago, Fernando Barros (Periquito), Tachinha e Antônio Vale (Cogumelo).
Na mesa ao lado, como sempre o Milton, do Seminário da Borda do Campo.

Por falar em seminário, neste mês de agosto serão realizados dois encontros de ex-seminaristas: 8ºRedex - ex-seminaristas salesianos nos dias 21 a 23 de agosto, em Cachoeira do Campo (perto de Ouro Preto) e dia 22 será o encontro dos ex-seminaristas do Ibaté, na cidade de São Roque, em São Paulo.
Estou com idéia de participar, pela segunda vez, do encontro dos salesianos.

Aproveito para enviar este belo vídeo de um vendedor de celulares da Escócia participando de um programa de caça talentos da Inglaterra.