sábado, dezembro 20, 2008

Receita de Natal.

Leia abaixo a receita de Natal enviada pelo Ronald Claver.

RECEITA DE NATAL

Neste Natal

Precisamos só de uma noite de bondade

De uma estrela guia

De três reis mágicos

De uma manjedoura

De uma Maria

De um José

De um Jesus

Para refazer o menino que habita em nós.

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Cervejinha de quinta-feira: dia 18 de dezembro de 2008.

A cervejinha desta quinta-feira, última do ano de 2008, infelizmente foi espantada pela chuva, ou melhor, toró d`água que caiu justamente na hora da bebericação e somente apareceram por lá o Aloísio Tirado (Jaó) - pré chuva - e o Tachinha, Antônio Márcio (Bangalão) e seu filho Cristiano após a chuva.
Tudo bem que não tenha sido como deveria, mas no dia 8 de janeiro a gente "voltamos" a bebericar a nossa alegria e amizade por todo o ano de 2009 com muita saúde e paz.

Para compensar a chuva e cervejinha "aguada" estou incluindo este bonito vídeo com a música "Stand by me" que foi uma indicação do Irinée Pierre Bonnerau(Zé Leitão).

Sinta a emoção nas vozes, ao redor do mundo; em todos os cantos.
Existe uma causa.
Abraços,
Pierre


quinta-feira, dezembro 18, 2008

Jantar de final de ano

Alguns amigos do Enfrades participaram do jantar de final de ano realizado no restaurante do Minas Tênis Clube - Minas I - em Belo Horizonte, no dia 17 de dezembro.
Estiveram presentes: Helvécio (Jaburu); Frei Cristóvão; João Cardoso; Marino (João Galinha); Gilberto Zanoli; Tachinha; Paulo Petermann e Sônia; Fernando Barros (Periquito); José Derval e duas colegas de trabalho da Depilart; Geraldo Corcini, esposa e filho; Ronaldo Armond e seu primo Marcelo; Manoel Gomes (Seriema); Manoel Faria e Angélica; José Lembi (Pelado); Vitório Mariz; Roberto Brant (Pão), Carlos Augusto (Coelhinho); Adeir; Júlio Cézar (Julinho); Claúdio Teodoro e Vitória e o filho Cláudio; Marcelo e Guida; Dante e Thais; Valjean (Canela), Carlos César (Palito) e Patrícia; Ricardo Cruz (Grilo) e Dayse; Antônio Márcio (Bangalão).

Foi uma noite bem alegre e serviu para que alguns que nunca tinham aparecido nos anos anteriores dessem o ar da graça de suas presenças, como o Geraldo Corcini, Cláudio, Roberto Brant, Ronaldo Armond, Periquito e Seriema.

Antes do jantar houve o amigo oculto, inventado pelo Manoel Faria.
Cada participante levou um pequeno presente - na faixa de R$5 a R$10,00.
Os presentes foram colocados em cima de uma mesa e quem fosse sorteado ia até a mesa e escolhia o presente que quisesse e tinha que desembrulhá-lo e mostrar para os outros participantes.
Se alguém gostasse do presente que você escolheu e quisesse trocá-lo com o seu (cada um só podia trocar uma vez).
O Adeir foi o primeiro a ser sorteado e como já conhecia a brincadeira e gosta de fazer uma sacanagenzinha escolheu logo um presente que talvez ninguém iria querer só para, no final, trocar por um outro que ele tivesse gostado, e não deu outra.
Eu, Tachinha, ao desembrulhar o meu presente - um Papai Noel - já fui logo perdendo-o ao ser trocado por uma barra de chocolate pelo Palito e a minha barra de chocolate foi trocada, depois, por um porta-cds.
Ao final da brincadeira o Papai Noel ficou o Adeir que já planejara a sua sacanagem.

UM FELIZ NATAL PARA TODOS OS AMIGOS DO ENFRADES E OS LEITORES DO BLOG DO TACHINHA E QUE AS ALEGRIAS PELO NASCIMENTO DO MENINO-DEUS SE PROLONGUEM POR TODO O ANO NOVO QUE SE APROXIMA TRAZENDO SAÚDE, PAZ E HARMONIA PARA TODOS NÓS!

terça-feira, dezembro 16, 2008

Um cearense na Daslu

Se você estiver procurando uma loja para fazer compras para o Natal leia abaixo o e-mail que recebi da minha amiga Stella.

Um Cearense na Daslu....ÓTIMA

Por Denis Cavalcante

Sempre tive vontade de conhecer essa tal de Daslu. Já que estava em São Paulo, por que não ir? Ainda mais depois que me disseram que lá não existe nenhuma peça que custe menos de três dígitos, resolvi dar uma de São Tomé e ver para crer. A entrada já foi um problema. O segurança perguntou pelo meu carro - ou motorista. Quem já foi sabe muito bem: Na Daslu, acreditem, não se entra a pé, somente motorizado. Fingi que não era comigo e entrei.
Fui recepcionado por uma loira escultural com sorriso de anúncio de dentifrício, uma sósia escrita e escarrada da Ana Hickman, com direito a 1m30 de pernas, chapinha no cabelo, olho azul e muito mais.
'Where are you from?'
'Quixeramobim'.
'I beg your pardon!'
Tava na cara que eu não era paulistano. Mas daí a me confundir com gringo, já é demais. Eu lá tenho cara de estrangeiro! Como um cão sabujo, onde eu ia, ela ia atrás. Dos milhares de itens que admirei boquiaberto, um em particular me encantou. Uma bolsa tiracolo Prada pra lá de maneira que imaginei que coubesse no meu orçamento. Ressabiado, indaguei o preço.
'Nove, apenas nove. E o senhor pode dividir de três vezes no cartão'.
'Nove o quê?'
'Nove mil...'
' Arre Égua!'
A pequena ficou tão assustada com minha reação que cheguei a pensar que fosse chamar os seguranças. Mas não. Acho que ela sacou que daquele mato não sairia cachorro, no máximo um carrapato. Fechou a cara, deu meia-volta e sumiu. Já que estava na chuva, resolvi me molhar. Entrei num salão onde só tinha Armani. Como já estava enturmado, perguntei o preço de um 'vestidinho' de festa. Adivinhem? R$ 100 mil. Tu és doido?! Uma estola de zibelina? R$ 60 mil. Fico imaginando quantos bichinhos foram sacrificados para
esquentar o lombo de uma madame. Um blaser Ermenegildo Zegna, e isso lá é nome de grife?, R$ 13 mil. Um óculos Gucci, R$ 4, 5 mil. Uma cuequinha básica do Valentino, R$ 260. Com direito a ouvir essa pérola do vendedor:
'Leve logo meia dúzia, tá na promoção!'. Imaginem quanto ela custava antes.
Na adega climatizada não foi diferente. Um 'Romaneé-Conti', safra 2000, aquele do Lula, estava por módicos R$ 8 mil a unidade. Uma garrafa de 'Johnnie Walker Blue', envelhecida 80 anos, uma das raras existentes no planeta, R$ 55 mil.
Fiz as contas e verifiquei que no final saí no lucro. 'Charlei', vi gente famosa, coisas bonitas, tomei mineral Badoit, Capuccino, Prosecco, Champanhe Taittinger, fartei-me de canapés, fois gras, blinis com caviar, não era Beluga. Sou duro, mas sei o que é bom. Até 'confit de canard' tracei. De quebra, profiteroles e apetitosos bombons trufados. As horas passaram voando. Minha acompanhante finalmente apareceu e perguntou:
'Vamos almoçar?'
'Almoço? Estou almoçado e jantado!'
Depois de conhecer quase tudo descobri que a Daslu é uma espécie de zoológico sem grades. Só que os bichos somos nós. Eu e você.
Acabado, me esparramei num confortável sofá. Enquanto esperava o resto da turma chegar, abri um livro e relaxei. Mal virei a segunda página, dois novos ricos falando alto, com mais sacolas do que mãos, sentaram ao meu lado esnobando:
'- Amanhã vamos para o nosso haras em Catanduva. - O réveillon será no Guarujá'.
Me deu uma raiva...
Peguei meu celular e resolvi mentir um pouco:
'- Fulano, não encontrei nenhum 'Summer' para o réveillon. Abastece o jatinho. Partimos amanhã cedo para Paris. Essa Daslu tá um lixo!'

A cara que os dois fizeram, não tem preço.

domingo, dezembro 14, 2008

Dois novos álbuns do Flickr

O Tachinha colocou mais dois álbuns na sua página no Flickr.
Um é do encontro de confraternização dos ex-seminaristas do Caraça, realizado em Belo Horizonte, e do qual o Tachinha participou.
O outro é de fotos do Enfrades de 2008, encontro anual dos ex-seminaristas franciscanos realizado no Seminário Seráfico Santo Antônio, em Santos Dumont. As fotos são do Fernando Barros Rosa Filho (Periquitinho).
Na foto abaixo - foto geral nº 3 - você pode ver, no álbum, a identificação de todos os componentes da foto passando o mouse sobre ela.



Clicando neste link você pode ver a foto em tamanho maior: Foto geral 3