sábado, novembro 29, 2008

Cervejinha de quinta-feira: dia 27 de novembro de 2008.

Na cervejinha desta quinta-feira estiveram presentes: Jaburu, Frei Cristóvão, Paulo Petermann, Carlos César (Palito), Carlos Augusto (Coelhinho), Tachinha, Antônio Márcio (Bangalão), Manoel Faria, José Derval, Aloísio Tirado (Jaó) e Valjean (Canela).
Apesar de somente o Derval e o Tachinha estarem dispostos a cantar algumas músicas nós cantamos o Adoro te, o panis..., Magnificat anima mea Domino, e um sonoro Io vivat com direito a um pedaço de bolo improvisado para comemorarmos o aniversário do Jaburu que seria no dia seguinte.

A cervejinha da semana passada que não tinha sido "noticiada" contou com as presenças
do Alex Fantini, Jaburu, Carlos Augusto (Coelhinho), Renê Ferraz, Aloísio Tirado (Jaó), Noraldino (Chibeta), Tachinha, Antônio Márcio (Bangalão), Paulo Petermann e seu amigo Tadeu de Melo, Fernando Rosa (Periquito) e seu filho Augusto com a namorada Yasmin.
Na mesa ao lado estava o Milton, companheiro de várias cervejadas.

Como as férias estão chegando aí vai um pequeno vídeo para aqueles que querem aprender a surfar nas praias.

segunda-feira, novembro 24, 2008

Piadas variadas

Leia abaixo duas piadas que fazem parte do Boletim Redex, informativo semanal editado pelo Geraldo Pena, com notícias e artigos sobre os ex-seminaristas salesianos.


Diz a lenda que Ruy Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal. Chegando lá, constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus amados patos, disse-lhe:

- Oh, bucéfalo anácrono! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à qüinqüagésima potência que o vulgo denomina nada.

E o ladrão, confuso, diz:

- Dotô, resumindo, eu levo ou deixo os patos?

(contribuição do João Sossai)


PRIMEIRA PIADA DE HOMEM LOIRO

Um japonês, um baiano e um loiro estavam trabalhando na construção de um edifício de 20 andares. Eles começaram a abrir suas marmitas para almoçar e o japonês disse, irritado:

- Sushi com sashimi de novo! Se eu abrir essa maldita marmita amanhã e encontrar sushi com sashimi me jogo desse prédio!

O baiano abriu sua marmita e gritou:

- Vatapá de novo! Se amanhã meu almoço também for vatapá, me jogo daqui!

O louro abriu a sua e disse:

- Sardinha de novo! Não !!! Se meu sanduíche amanhã for de sardinha de novo, me jogo também!

No dia seguinte o japonês abriu sua marmita, viu o sushi com sashimi e pulou para a morte. O baiano abriu sua marmita, viu o vatapá e pulou também. O louro abriu o sanduíche, viu que era de sardinha e também se jogou do prédio...

No enterro, a mulher do japonês chorava sem parar, dizendo:

- Se eu soubesse o quanto ele estava cansado de comer sushi com sashimi, eu nunca mais teria posto na marmita dele!'.

A mulher do baiano também chorava:

- Eu poderia ter feito acarajé ou cuscuz! Não percebi o quanto ele estava odiando comer o vatapá!'

Todos se voltaram e olharam para a esposa do loiro:

- Ei, nem adianta olharem prá mim, ele sempre preparou a sua marmita sozinho!

(contribuição do Editor)