sábado, outubro 18, 2008

Cervejinha de quinta-feira: dia 16 de outubro de 2008.

A cervejinha desta quinta-feira contou com as presenças de: Jaburu, Tachinha, Adeir, Carlos Augusto (Coelhinho), Carlos César (Palito), Valjean (Canela), Antônio Márcio (Bangalão), Rosemiro, Eustáquio Tadeu (Siri) e Dante (Elefante)

quinta-feira, outubro 16, 2008

Artigo do frei Cristovao: Foro Social das Americas.

Leia abaixo mais um artigo enviado pelo Frei Cristóvão que esteve participando do Foro Social das Américas, na Guatalema.

III FORO SOCIAL DAS AMÈRICAS – Guatemala 7-12/10/2008.

Intodução

“Um outro mundo é possível. Não só é possível, quanto necessário”, isso por causa das mudanças climáticas provocadas pelo atual modelo civilizatório hegemônico. Em muitos comitês responsáveis pela organização e realização das muitas versões do Foro Social já se proclama, oficialmente: “E necessário”.

O Foro Social, em suas variadas versões, desde o mundial, dos continentais, dos nacionais, dos regionais, dos estaduais, dos municipais é um espaço, não um movimento, muito menos uma ONG. Um espaço onde se trocam experiências, alternativas e criam-se redes para a difusão das mesmas no que diz respeito ao que se entende por “Um outro mundo é possível e necessário”.

Quanto à discussão se os foros fossem uma organização, uma ONG, um movimento, mas, antes, um espaço público aberto e acessível a todos que comungam a idéia, o sonho, a utopia de uma outra maneira de ordenar o mundo (Geopolítica), veja a Carta de Princípios do Foro Social, de 10 de junho de 2001, e o meu livro “O Contrapoder Popular, Belo Horizonte, Perfil Editora, 2005.

I. Relembrando

1. O fio-condutor que deu origem aos Foros e ilumina suas realizações, sua proposta alternativa ao modelo neoliberal necrófilo, suicida, aético, desumano, é a busca coletiva de alternativas que o supere. É um processo que não tem resposta acabada e definitiva. Deve ser construído ao longo da História e com a participação de todos, um processo extremamente democrático.
2. O Foro, por si mesmo, não apresenta soluções acabadas, mas, antes, abre um espaço de discussão e de apresentação de experiências alternativas no sentido de superação do modelo vigente.
3. O Foro se abstém de fazer e publicar qualquer documento oficial além de sua Carta de Princípios. Toda e qualquer manifestação desta ou daquela entidade que se inscreve para participar do Foro deve faze-la em nome próprio, desde que não vá a proposta-fundante: “Uma proposta alternativa ao Projeto Neoliberal.
4. O Foro Social Mundial é coordenado por um Comitê Internacional, mais de 120 pessoas que se reúne, periodicamente, com a finalidade de assessorar a realização de outros foros, em outros níveis; preparar o Foro Social Mundial e zelar pelo cumprimento e respeito de sua Carta de Princípios. Normalmente são realizados em cidades estratégicas com um perfil de governos que se opõe à proposta neoliberal.
5. O Foro Social Mundial tem seu sítio no correio eletrônico com o seu histórico, Carta de Princípios, sua biblioteca, sua agenda de eventos.
6. A introdução da temática ”Ética-Espiritualidade Transformadora” nos eixos norteadores do Foro foi fruto de longa discussão no interno do Comitê Internacional tendo à frente lideranças comprometidas com a Teologia da Libertação; no Brasil, com o Movimento “Fé & Política” e tantas outras entidades comprometidas com a Paz mundial.

II. III Foro Social das Américas - Guatemala 7/12/10/2008.

1.Os Eixos de Trabalho

Eixo 1: Alcances e desafios das mudanças no Hemisfério:Pós-Neoliberalismo, Socialismos, Mudanças Civilizatórias.
Eixo 2: Povos em Resistência ao Neoliberalismo e à Dominação Imperial.
Eixo 3: Defesa da Qualidade frente ao Capitalismo Depredador.
Eixo 4: As diversidades e igualdade: desafios para sua concretização.
Eixo 5: A Disputa Ideológica: a Comunicação, as Culturas, os Conhecimentos, a Educação.
Eixo 6: Povos e Nacionalidades Originárias, Indígenas e Afrodescendentes: O “Bem Viver” e suas Chaves para o Futuro.

2. Especificidades e Limitaçõesde trabalho:

• Crise das especificidades podem ser pontualizadas pelos eixos modelo neoliberal e seus impactos na América Latina.
• Integração das populações indígenas na América Latina, respeitando suas diversidades étnico-culturais. A luta pela sua identidade e resgate de suas terras, ocupadas pelo colonizador branco. A resistência contra os grandes projetos das grandes corporações internacionais que exploram depredatoriamente a natureza. São anti-ecológicas. A Terra para os índios faz parte de sua identidade.
• A natureza e o índio constituem um todo holístico. Os índios são, naturalmente, ecológicos. Faz lembrar o lugar e a importância da Terra na Bíblia, tanto na antiga como na nova Aliança (Abraão, os patriarcas e matriarcas, Juizes – Parábola do Semeador, do Jóio e do Trigo (Cf. Belo, Fernando, Lectura Materialiste de L’Evangile de Marc, les Éditions Du Cerf, Paris,1975).
• Neste viés podemos acrescentar a parábola do pai de família que contrata desempregados para trabalhar na sua vinha. É uma crítica ao sistema fundiário da Palestina no tempo de Jesus de Nazaré. Podemos compará-los aos “Sem-Terra” de hoje. Endividados, suas terras foram confiscadas pelos sacerdotes, anciãos do Templo e generais romanos reformados.
• A parábola dos talentos: o empregado que enterra os talentos recebidos o faz como protesto ao patrão mau e explorador de seus empregados. É uma crítica de Jesus à concentração da Terra e ao sistema trabalhista de então. Foi-nos passado uma leitura fundamentalista, espiritualizante; e muitos de nós a perpetuamos!
• A realização do Foro na Guatemala, além de ser uma preparação ao Foro Mundial em janeiro/2009, em Belém do Pará, foi estratégico enquanto aproximou duas culturas hegemônicas os Mais e os Incas. Realizou-se num país ainda marcado por anos de ditadura militar e onde os militares controlam o aparelho do Estado.
• O boicote ao Foro por parte da Mídia. A imprensa falada, escrita e televisionada pouco noticiou sobre o evento. A TV simplesmente o desconheceu! Estão atreladas ao grande capital e policiada pelos generais das Forças Armadas.
• . As 5 colunas publicadas pelo jornal de maior circulação do país, “Prensa Livre”(!), procurou passar uma versão distorcida do Foro, desconhecendo sua Carta de Princípios, apontando o risco de que as reivindicações das entidades participantes, fossem manipuladas por falsas lideranças demagógicas.
• Relembrando o facismo liderado por Hitler, Mussoline, Stalin e ditadores do passado latino-americano e em outras partes do mundo! Foi notória a rejeição das propostas do Foro.
• O fato de que a bandeira das populações indígenas ficou durante o Foro hasteada ao lado da bandeira nacional na praça central da cidade, frente ao Palácio do Governo, deve ter molestado a oligarquia nacional e seus capachos!!
• Guatemala, enquanto país, tem, aproximadamente, 12 milhões de habitantes, sendo que 6 milhões vivem na grande Guatemala-Capital. A concentração fundiária provoca violento êxodo rural. Fato semelhante pode-se constatar na China. Está se prevendo até o ano 2020 a migração de 350 milhões de chineses do mundo rural para os centros urbanos modernizados pelo Capitalismo Estatal chinês!
• Na Guatemala os latifúndios são terras destinadas à produção da cana-de- açúcar. A Guatemala é a 6ª produtora de cana-de-açúcar do mundo. A produção mecanizada em grandes extensões de terra explica a concentração urbana e suas seqüelas: miséria, pobreza e violência urbana.
• A participação franciscana no Foro. A Sinfrajupe tomou a iniciativa de preparar nossos irmãos e irmãs (5 meses), para que pudessem participar do Foro. Um grupo de irmãs de diversos países da América Latina veio à Guatemala, hospedando-se no Centro Pastoral Franciscano, com a finalidade exclusiva de participar do Foro.
• Entre os freis da Província Franciscana de N. Sra. de Guadalupe, encontrei interesse e sensibilidade no tocante à relevância da realização do Foro. A coincidência com o Capítulo Provincial impossibilitou a participação dos irmãos no Foro.
• Em minha conversa com o irmão visitador, como também com o irmão secretário da Província defendi a tese de que os Foros Sociais são verdadeiros “Sinais dos Tempos”, “Lugares Teológicos”. É aí que temos que reinterpretar, contextualizar nosso carisma (800 anos de seu reconhecimento pela Igreja).
• Crítica à Igreja-Instituição: Em dois seminários em que participei e fiz intervenção tive que engolir calado a crítica à omissão e à cumplicidade da Igreja-Instituição com o processo colonizador. Um novo mundo é possível, uma nova Teologia é possível, uma nova hierarquia”.
• Num seminário onde discutíamos a efervescência política na América Latina, relembrei que Marti nos deixou uma lição histórica valiosa: “Não se faz revolução na América Latina sem levar em conta a cultura de seus povos, sua cordialidade.
• A esquerda falhou ao desprezá-la. Fiz menção à minha tese de quando estudante em Paris: “A religiosidade Popular na América Latina e o Marxismo (Materialismo Dialético). A Religiosidade Popular carrega em seu bojo uma dimensão profético-libertadora, portanto, revolucionário-transformadora.
• Tudo depende de uma nova metodologia evangelizadora. As CEBs caminham nesta direção, não obstante a desconfiança e rejeição por parte da Hierarquia e da Cúria Romana. As Comunidades Eclesiais de Base usam a metodologia: VER-JULGAR-AGIR- CELEBRAR-AVALIAR.
• Onde me hospedei? Na Cúria Provincial dos franciscanos. Um complexo: Igreja Paroquial, Centro Franciscano, Biblioteca, o Convento, o Provincialado e o antigo prédio para os estudantes de Filosofia.
• Os frades da Província rezam mais do que os da Província de Santa Cruz. Missa diária, recitação das Laudes com 15 a 20 minutos de meditação; recitação das Vésperas com o mesmo tempo reservado à meditação. Há também a reza coletiva do Terço, caminhando ao redor da quadra de esportes. Suponho eu, uma vez na semana Participava da Eucaristia na Igreja-Matriz, em seguida a reza das Laudes com 15 minutos de meditação; café; após o qual tomava rumo em direção à Universidade São Carlos. Os indígenas Maias celebravam, todos os dias, a partir das 6 horas o seu ritual em honra aos seus antepassados; como o culto era longo, podia participar de alguma parte do ritual. Uma fornalha com terra e cascalhos ficava ao centro da roda. A cerimônia era, normalmente, presidida por uma pessoa idosa e participação ativa das mulheres indígenas. Muita fumaça da fornalha e dos turíbolos usados para incensar os presentes. Muita gente acompanhava, respeitosa, o culto.
• Uma discussão durante o jantar: a conversa girava em torno do Foro e do que vem acontecendo no cenário político da América Latina: Argentina, Uruguai, Brasil, Paraguai, Bolívia, Equador, Colômbia com mais de 20 anos de guerra civil sustentada pelos EUA.
• O provincial, no final de seu ministério provincial, pessoa simpática, cabeça arejada, candidato a bispo, porém, rifado da lista selecionada pela nunciatura por causa de sua postura em defesa de frades devido a suas práticas pastorais. Ironicamente, para me provocar, saiu com essa: “Evo Morales é uma figura folclórica”
• Devolvi: “Sim é verdade, concordo. Isso, na condição de tomarmos o termo na sua significação originária, na sua semântica primeira: “For all”, um valor que nasce de todos e está a serviço de todos. Francisco também foi uma figura folclórica no seu entorno cultural-religioso de seu tempo.
• O resgate do núcleo duro da mensagem evangélica: a Fraternidade universal. Todos nós, pessoas humanas, os animais, as plantas, a Terra, todos somos filhos de Deus, por Ele criados na gratuidade de seu amor, de sua bondade de Pai.
• O burel franciscano não deixa de ser expressão simbólica do folclorismo do nosso carisma! Prometi a ele que iria tocar no assunto no meu relatório sobre o III Foro Social das Américas. Ele gostou da idéia!
• Visita a Tpkal (Peter Itza: Pedras Negras).
Tpkal foi a primeira capital da Guatemala, destruída por um terremoto, no início do séc. XVII, distante 90 km da atual capital. Trecho lindo, a estrada contornando a serra coberta de mata nativa. A visita foi programada pela Sinfrajupe. Saímos às 7 h 20 m e chegamos ainda para participar da missa das dez na igreja reconstruída após o terremoto.

Tivemos como cicerone um casal da OFS (Ordem Franciscana Secular). Toda a história do irmão frei Pedro foi-nos transmitida durante o trajeto. Chegara a TpKal no início do séc. XVI, e lá permanecera por dez anos.
Desenvolvendo intensa atividade pastoral junto aos enfermos e idosos. Construiu o hospital. A exemplo de São Francisco, exortava o povo à conversão e à prática do bem com simples palavra e bondade de coração.
Recolhia as intenções nas casas que visitava e as entregava ao celebrante na igreja. Tpkal é um centro turístico e de peregrinação, de veneração ao santo irmão frei Pedro. Uma cidade marcada, através dos anos pela presença e espiritualidade franciscana. As ruínas do antigo convento franciscano, com seus corredores, transformado em museu dedicado ao Irmão Pedro, é toda uma construção de pedras da região.
Suas colunatas, paredes, ruínas do pátio central, impõem-se com sua beleza arquitetônica. Tudo inspirando silêncio e interiorização, como se tudo nos convidasse a um mergulho ao profundo do nosso ser, onde deparamos com o Absoluto, origem de todos os seres. Retornamos à capital para participar da concentração da grande marcha de encerramento do Foro.
• A presença indígena – os trajes multicolores das mulheres indígenas. Saias e blusas coloridas. Cada região com suas cores típicas. Um trajar que expande a alegria de viver do índio junto à natureza fecunda e generosa.
• A capital é uma cidade plana com largas avenidas de mão dupla e arborizadas.
• O clima nesta estação é frio com pancadas de chuva esporádicas.
• A arquitetura da Igreja Sagrado Coração de Maria foi seriamente danificada com os elevados construídos bem à sua frente.
• A região da Zona 12 é violenta. Tanto assim que em frente do convento tem um carabineiro armado com sua escopeta. Sendo assim ficamos impossibilitados de participar da programação cultural noturna.
• O povo guatemalteco é alegre e acolhedor. Há tanta espontâneidade ao se saudarem como companheiros ou como irmãos.

Conclusão

É do terceiro mundo, dos povos emergentes que se pode esperar algo de novo. O velho Continente está com sua liderança cansada, o mesmo vale para a Igreja. Veja o colégio cardinalício. São pessoas idosas incumbidas de eleger o sucessor de Pedro, sem a menor participação do Povo de Deus, de mulheres e homens leigos.

Os “nervos” do poder, as decisões políticas, das quais dependem a vida de milhões de pessoas, não se concentram no interior de nossas igrejas; no recinto dos palácios episcopais e muito menos nas dependências do Vaticano; mas antes, nas ruas, praças mundo afora. Pois bem, é justamente neste espaço público é que acontecem os Foros Sociais.

É lá que a História acontece e se faz. É lá que somos chamados a marcar nossa presença para aí temperar com o sal do Evangelho; fermentar com o fermento da Boa Nova; ser luz que aclare os passos em direção da Vida, da Justiça, da Paz que o Senhor nos mereceu com o seu gesto radical de doação e entrega amorosa na Cruz.

Ao ensejo das celebrações dos 800 anos de aprovação do carisma franciscano, importa se fazer presente nos Movimentos Sociais em nome de Francisco e Clara com sua mensagem de Paz, baseada na Justiça Social, partilha dos bens necessários a todos nós. Paz e Bem!

Frei Cristóvão Pereira ofm.
Convento S. Francisco das Chagas,15/10/2008.
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.
freicristovao@gmail.com

quarta-feira, outubro 15, 2008

Curriculum Vitae: como melhorar a sua qualificação profissional.

Estas dicas inteligentes foram enviadas pelo Abílio Abel.

CURRICULUM ATUALIZADO!

Amigos, dêem uma revisada em seus currículuns..
Você acha que não te contratam em uma Grande empresa porque o seu
currículo é muito 'fraquinho'?
É muito simples, basta fazer algumas substituições no Nome de sua profissão!

A seguir, algumas dicas para você dar um reforço em seu curriculum.
Apenas falando de seus empregos anteriores:
(as últimas são as melhores!)

* Especialista em Marketing Impresso (boy da xerox)

*Supervisor Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde (faxineiro)

* Oficial Coordenador de Movimentação Interna (porteiro)

* Oficial Coordenador de Movimentação Noturna (vigia)

* Distribuidor de Recursos Humanos (motorista de ônibus)

* Distribuidor de Recursos Humanos VIP (motorista de táxi)

* Distribuidor Interno de Recursos Humanos (ascensorista)

* Diretora de Fluxos e Saneamento de Áreas (a tia que limpa o banheiro)

* Especialista em Logística de Energia Combustível (frentista)

* Auxiliar de Serviços de Engenharia Civil (pedreiro)

* Segundo Auxiliar de Serviços de Engenharia Civil(servente, o chamado peão de obra!)

* Especialista em Logística de Documentos (office-boy)

* Especialista Avançado em Logística de Documentos (motoboy) - que delícia...

* Consultor de Assuntos Gerais e Não Específicos (vidente) - esse é melhor ainda!

* Técnico de Marketing Direcionado (distribuidor de santinho nas Esquinas)
- que idéia genial!!!

* Especialista em Logística de Alimentos (garçom)

* Coordenador de Fluxo de Artigos Esportivos (gandula)

* Distribuidor de Produtos Alternativos e Alta Rotatividade (camelô)
- não é perfeito???

* Técnico Saneador de Vias Publicas (gari)

* Especialista em Entretenimento Masculino (prostituta)

* Especialista em Entretenimento Masculino Sênior (prostituta de luxo)

* Dublê de Especialista em Entretenimento Masculino (travesti) - esse é bárbaro!!!

* Supervisor dos Serviços de Entretenimento Masculino (cafetão)

* Técnico em Redistribuição de Renda (ladrão) - genial!!!!!!!!

Cantata "O Peregrino de Assis" em Brasília.

O Frei Joel Postma está em Brasília para participar das duas apresentações de sua cantata: O Peregrino de Assis.
A apresentação faz parte das comemorações latino-americano e caribenha dos 800 anos do movimento franciscano.
A cantata contará com a participação da Orquestra da Universidade de Brasília e do coral Cantus Firmus e será apresentada no dia 17 de outubro, sexta-feira, às 20 horas no Teatro Nacional de Brasília e no dia 19, domingo, às 15 horas, na Igreja de Santo Antônio, na Asa Sul, 911, perto do Hospital Naval.
A apresentação deverá ser gravada num DVD.

terça-feira, outubro 14, 2008

Artigo do Rosario: Evolucao Humana

Leia abaixo mais artigo enviado pelo Rosário.

Paz plena...
Irmãos e companheiros do ENFRADES.
Que a PAZ habite o coração de cada um e que todos sejam livres para irem em busca da verdade, que liberta.
Todos estamos em busca do nosso aperfeiçoamento e todos queremos viver bem, então vamos aprender a conviver bem.
Paz plena... Rosário.
P. S.: Eis mais um artigo que foi publicado no jornal O TEMPO: .


209 - Evolução humana - publicado em 14/10/2008.

Até o dia 05/01/1980, eu era um defensor da vida única, pois foi exatamente nesse dia que aceitei a verdade das vidas sucessivas. A razão e a lógica da reencarnação é a evolução dos espíritos. Estes, para alcançarem um estado cada vez mais perfeito, tanto no aspecto individual como no coletivo, necessitam por sua vez de corpos mais adequados e perfeitos.

Lendo o artigo: "Evolução humana chegou a seu ápice, diz geneticista" (Interessa 10/10), conclui-se que o artigo: "Ciência recorre à religião pedindo socorro para a Terra" (Opinião 10/10) do teólogo Leonardo Boff está correto. A união perfeita entre a Ciência e a Religião irá ajudar a humanidade em tudo, além de salvar a Terra, irá também mostrar para os seres humanos os meios para entender tudo e até a verdade absoluta.

Deus não é a verdade absoluta, mas só Ele tem a verdade absoluta e só por meio dEle cada um poderá conhecer quem realmente é e depois poderá entender melhor o outro. E finalmente compreenderá mais a Deus, que é o criador primordial; isto é: o único criador incriado, que deu início à criação.

Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 11/10/2008

Artigo do Paulo Botelho: O Verdadeiro Compromisso do Político.

Leia abaixo mais um artigo enviado pelo Paulo Augusto Podestá Botelho (Debanda):

O Verdadeiro Compromisso do Político

Por Paulo Botelho

Escrevi este artigo, quase que nessa mesma linha de abordagem, há mais de 20 anos, para o semanário Opinião: uma publicação de projeção nacional de resistência à ditadura militar, por ocasião do funeral do Presidente Juscelino Kubitschek. Ainda me lembro de meu pai ao telefone: "O compadre Ismael chorou quando leu o teu artigo!" Ele se referia a seu amigo Ismael de Oliveira Coimbra, médico emérito, duas vezes candidato a prefeito de Muzambinho. Em ambas as disputas foi derrotado por contagem de votos, tributada aos espertos udenistas de plantão na época. Ismael tinha um projeto para a sua cidade que incluia escolas, rede de esgotos e postos de saúde. Ousara excluir fonte luminosa, reforma da igreja católica e caipiródromo. - Ele tinha Juscelino como modelo de administrador público a ser seguido.

"O real é o impossível", dizia o psicanalista francês Jacques Lacan. É preciso, portanto, ousar o impossível para que seja redescoberta a dignidade do ser humano.

Juscelino Kubitschek governou o Brasil no período 1956-1960. Ele conseguiu sintetizar o político sensível e solidário com o administrador eficiente. Em seu governo é implementada e consolidada a indústria automobilística; a produção de aço é triplicada, enquanto a renda "per capita" da população sobe para quase 7% ao ano.

Seminarista na juventude em Mariana, Minas Gerais, Juscelino aprende a tocar órgão com perfeição. O escritor Otto Lara Resende costumava contar que ouviu-o, certa vez, executar na íntegra a Missa em Si Menor de Bach, sem ler a complexa partitura polifônica, escrita pelo mestre dos mestres da música. - Ah, a música! Ela é, certamente, o primeiro grito de amor que se conhece. As primeiras leis da humanidade foram cantadas. Fico pensando, como soaria pelas galerias do Congresso e das Câmaras as leis sendo entoadas, ou melhor, desafinadas por esses senadores, deputados federais e estaduais, vereadores. - Melhor não imaginar!

Foi em Caratinga, também em Minas. Era uma festa de inauguração de uma obra estadual para a cidade. Ao final, no meio da multidão, Juscelino, então governador, percebe um homem que vem ao seu encontro caminhando com enorme dificuldade. Quando ele se aproxima mais, Juscelino pára estarrecido. Era um leproso, enrolado em sacos de estopa. No rosto muito deformado pela doença, os olhos são suaves. Se recua pode magoar aquele homem. Juscelino, então, estreita-o num grande abraço. O homem se afasta e, de costas para a multidão perplexa, chora de emoção!

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Professor e Consultor de Empresas para Programas de Engenharia da Qualidade, Antropologia Empresarial e Gestão Ambiental. Master in Hygiene and Health for Labour Aircraft Occupations pelo MIT – Massachusetts Institute of Technology – USA. Membro da SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. www.paulobotelho.com.br

domingo, outubro 12, 2008

MP3 de Canto Gregoriano para baixar

Aí vai a dica de uma página de canto gregoriano com algumas músicas em MP3 do Saint Tarcisius Choir
Aproveito esta postagem para convidar você leitor a visitar as minhas outras páginas: Canto Gregoriano / Coral Gregoriano de Belo Horizonte e fotos do Enfrades (ex-seminaristas franciscanos) e outras nos meus álbuns do Flickr