sábado, setembro 27, 2008

Gerador de Lero-lero

Está dificil escrever aquele trabalho da faculdade ou preparar um seminário? Com o Fabuloso Gerador de Lero-Lero, dá para escrever em instantes textos sobre qualquer assunto, principalmente aqueles dos quais você não entende nada!

Para "encomendar" uma tese, é só digitar na página do "fabuloso" o tema e a quantidade de frases desejadas.

Como exemplo leia aí a resposta a um pedido sobre "A influência do buraco da agulha na camada de ozônio" Este "tema" foi proposto, se não me engano, pelo Júlio Cézar - Julinho - para alguém fazer uma palestra nos nossos encontros lá no Seminário em Santos Dumont.

A influência do buraco da agulha na camada de ozônio

Todas estas questões, devidamente ponderadas, levantam dúvidas sobre se a estrutura atual da organização agrega valor ao estabelecimento dos modos de operação convencionais. O cuidado em identificar pontos críticos no desafiador cenário globalizado apresenta tendências no sentido de aprovar a manutenção dos paradigmas corporativos. É claro que o entendimento das metas propostas nos obriga à análise dos relacionamentos verticais entre as hierarquias. A certificação de metodologias que nos auxiliam a lidar com a consolidação das estruturas acarreta um processo de reformulação e modernização das novas proposições.

Pensando mais a longo prazo, a determinação clara de objetivos cumpre um papel essencial na formulação do orçamento setorial. Ainda assim, existem dúvidas a respeito de como o comprometimento entre as equipes obstaculiza a apreciação da importância das regras de conduta normativas. Gostaria de enfatizar que a competitividade nas transações comerciais oferece uma interessante oportunidade para verificação dos índices pretendidos.

Todavia, a complexidade dos estudos efetuados faz parte de um processo de gerenciamento das posturas dos órgãos dirigentes com relação às suas atribuições. O empenho em analisar a execução dos pontos do programa aponta para a melhoria do sistema de participação geral. A nível organizacional, o fenômeno da Internet maximiza as possibilidades por conta do processo de comunicação como um todo.

sexta-feira, setembro 26, 2008

Cervejinha de quinta-feira: 25 de setembro de 2008.

A cervejinha desta quinta-feira contou com as presenças de: Jaburu, José Derval, Eustáquio Tadeu (Siri), Tachinha, Antônio Márcio (Bangalão), Amaury, Carlos Augusto (Coelhinho), Carlos César (Palito), Marcelo Brandão, Paulo Petermann (milagrosamente, após a sua operação, não fumou nenhum cigarro, pelo menos lá na mesa), Quinho (filho do João Marques-Cri), Valjean (Canela).
Na semana passada a cervejinha ficou um pouco prejudicada pois era aniversário do Manoel Faria e estiveram lá, por alguns minutos: Jaburu, Afrânio, Frei Cristóvão, Tachinha e Carlos César (Palito) e que logo, logo foram para o apartamento do Manoel para comemorar o seu aniversário.
Na mesa ao lado o Milton, companheiro de sempre.

quarta-feira, setembro 24, 2008

Coisas de ex-seminaristas

Leia abaixo um caso que só nós, ex-seminaristas, (de qualquer "raça" ou ordem religiosa) podemos dar o exemplo.
O Tachinha (eu) chegando em casa, após o ensaio do Coral Gregoriano de Belo Horizonte, encontrou um recado na sua secretária eletrônica.
O recado era do João Batista de Souza ligando de Manaus e informando que estava fazendo uma viagem pelas "estradas" (rios) do Norte do Brasil e cujas "suítes" são redes penduradas nos barcos da região e que o seu próximo destino era Belém, capital do estado do Pará.
O João Batista (a voz que clama no deserto) estudou no Seminário Seráfico Santo Antônio, em Santos Dumont, de 1961 a 1968, mora em Ituiutaba, em Minas Gerais, levou a cadernetinha "A saudade que ficou", livreto que contém os nomes e endereços de mais de 1.000 ex-seminaristas espalhados por todo o Brasil e que estudaram em Santos Dumont e em outros seminários franciscanos da Província de Santa Cruz (Minas Gerais e sul da Bahia), e; de Manaus, ligou para o - como ele disse o nº 102 da cadernetinha - que mora em Belém - Antônio Francisco de Araújo (Elefante) que estudou em Santos Dumont em 1959 e, portanto, em época anterior à sua e, obviamente, não se conheciam.
Pelo fato de o Batista ter se identificado como ex-seminarista, o Antônio logo se prontificou a ir buscá-lo no aeroporto em Belém e dar toda a atenção ao "novo" amigo.
Tal fato é uma das razões que o Tachinha está usando para fazer, pela Internet, um cadastro nacional de ex-seminaristas de todos os seminários e congregações religiosas (redentoristas, franciscanos, salesianos, verbitas, sacramentinos, dominicanos, etc. etc.), pois a graça de termos estudado em seminários é uma forma de nos mantermos unidos na amizade e companheirismo.
Se você quiser fazer parte deste cadastro mande um e-mail para o Tachinha pedindo informações: enfrades@yahoo.com.br
Antônio (Elefante), parabéns a você por entender e fazer parte de toda a mística de nós, ex-seminaristas.
Senhor, fazei-nos instrumentos da vossa paz!

segunda-feira, setembro 22, 2008

Piadas de mineirim e outras

Leia abaixo umas piadas de mineirim e outras enviadas pelo José Joventino (Jumentinho) e Dante de Souza (Elefante).

A IMPORTÂNCIA DO CAFEZINHO:

Dois leões fugiram do Jardim Zoológico.

Na fuga, cada um tomou um rumo diferente. Um dos leões foi para as matas e o outro foi para o centro da cidade.

Procuraram os leões por todo o lado, mas ninguém os encontrou. Depois de um mês, para surpresa geral, o leão que voltou foi justamente o que fugira para as matas. Voltou magro, faminto, alquebrado. Assim, o leão foi reconduzido a sua jaula.

Passaram-se oito meses e ninguém mais se lembrou do leão que fugira para o centro da cidade, quando um dia, o bicho foi recapturado. E voltou ao Jardim Zoológico gordo, sadio, vendendo saúde.

Mal ficaram juntos de novo, o leão que fugira para a floresta perguntou ao colega:

- Como é que conseguiste ficar na cidade esse tempo todo e ainda voltar com saúde? Eu, que fugi para a mata, tive que voltar, porque quase não encontrava o que comer ... !!!

O outro leão então explicou:

- Enchi-me de coragem e fui esconder-me numa repartição pública. Cada dia comia um funcionário e ninguém dava por falta dele.

- E por que voltaste então para cá? Tinham acabado os funcionários?

- Nada disso. Funcionário público é coisa que nunca se acaba. É que eu cometi um erro gravíssimo. Tinha comido o diretor geral, dois superintendentes, cinco adjuntos, três coordenadores, dez assessores, doze chefes de seção, quinze chefes de divisão, várias secretárias, dezenas de assistentes administrativos e ninguém deu por falta deles! Mas, no dia em que eu comi o cara que servia o cafezinho... estraguei tudo!


Essa é de mineiro!!

Numa estradinha, o mineiro dono de um alambique, entra na traseira de uma BMW novinha em folha.
O dono da BMW sai que é uma fera em cima do mineiro, que diz:'Carma moço tudo se resorve....
''Resolve nada seu '&*¨%$#@*&¨&*$ %$>!!!!''
Carma...toma uma aqui da minha fazenda...é da boa que o sinhô vai si acarmá...'O cara toma uma.'Acarmô?
''Acalmei nada!!!'Então toma mais uma...E assim foi, depois de uma meia dúzia o mineiro:'Acarmô?
''Sim, agora sim!''Intão agora nóis vamu sentá aqui i chamá a polícia pra fazê o tar di bafômetro i vê quem tá errado!'


O Bêbado

Numa estação do metrô, um bêbado e uma freira caminhavam em direções opostas. O bêbado, roto e cambaleante, e a freira, firme, com seu impecável hábito preto.
No momento em que se cruzaram, o bêbado agarrou a freira pelas orelhas e deu-lhe uma cabeçada com toda força que tinha.
A freira curvou-se para trás com o impacto, mas o bêbado segurou-a pelo hábito e jogou-a contra a parede.
Em seguida, o bêbado socou-lhe o estômago e projetou a cabeça da freira várias vezes contra a parede.
Depois de tanta brutalidade, com a pobre freira caída ao chão, o bêbado esfregou as mãos e disse, com ares de vitorioso: esperava mais de você, batman!!!

Enterro do Lula.

O LULA MORREU.....
Fizeram,então uma reunião em Brasília para decidir onde ele seria enterrado.

Um sem-terra sugeriu:

- Deve ser enterrado em Guaranhuns. É a terra dele.

Então um bêbado, que não se sabe como entrou na reunião, disse com aquela entonação típica dos bebuns:

- Em Guaranhus PODE... Só NÃO PODE em Jerusalém!!!

Ninguém deu bola para o que ele disse.

Um petista falou:
- O companheiro deve ser enterrado em São Bernardo. Foi lá, junto com a
gente, que ele viveu e fez sua carreira sindical e política.

O bêbado mais uma vez interveio:

- Em São Bernardo PODE... Só NÃO PODE em Jerusalém!!!

Novamente, ninguém lhe deu ouvidos.

- Nem em Guaranhuns, nem em São Bernardo , interveio um pemedebista:

Deve ser enterrado em Brasília, pois era Presidente da República e todos
os presidentes devem ser enterrados na Capital Federal.

E o bêbado novamente:

- Em Brasília PODE... Só NÃO PODE em Jerusalém!!!

Aí, perderam a paciência e resolveram interpelar o bebum:

- Por que esse medo de que o Lula seja enterrado em Jerusalém?

E o bêbado respondeu:

-Porque uma vez enterraram um Senhor lá, e ele

RESSUSCITOU !!!!



Quando Deus fez o mundo, para que os homens prosperassem decidiu dar-lhes apenas duas virtudes.
Assim:
- Aos Suíços os fez estudiosos e respeitadores da lei.
- Aos Ingleses, organizados e pontuais.
- Aos argentinos, chatos e arrogantes.
- Aos Japoneses, trabalhadores e disciplinados.
- Aos Italianos, alegres e românticos.
- Aos Franceses, cultos e finos.
- Aos Brasileiros, inteligentes, honestos e petistas.
O anjo anotou, mas logo em seguida, cheio de humildade e de medo, indagou:
- Senhor, a todos os povos do mundo foram dadas duas virtudes, porém, aos brasileiros foram dadas três!
Isto não os fará soberbos em relação aos outros povos da terra?
- Muito bem observado, bom anjo! exclamou o Senhor.
- Isto é verdade!
- Façamos então uma correção! De agora em diante, os brasileiros, povo do meu coração, manterão estas três virtudes, mas nenhum deles poderá utilizar mais de duas simultaneamente, como os outros povos!
- Assim, o que for petista e honesto, não pode ser inteligente. O que for petista e inteligente, não pode ser honesto. E o que for inteligente e honesto, não pode ser petista.
Palavras do Senhor...