sexta-feira, setembro 19, 2008

Canto Gregoriano - Vídeos

Para os que gostam de canto gregoriano aí vai um endereço do IBIEP com umas 50 páginas e mais de 1.000 vídeos com a beleza da música gregoriana.
Esta página faz pesquisa nos melhores sites de vídeo: YouTube, MySpace, Google Vídeos, Metacafe e outros.
Pesquise, também, sobre "canto gregoriano" "gregorianische" "gregoriaans", música clássica e outros nomes de música que você encontrará muita coisa interessante.
Se achar algum link interessante, por favor, mande para mim: tachinha@gmail.com e veja, também, as minhas páginas: Canto Gregoriano, Fotos do Enfrades

Artigo do frei Cristóvão: Há salvação para o capitalismo?

Leia abaixo mais um artigo enviado pelo Frei Cristóvão:

HÁ SALVAÇÃO PARA O CAPITALISMO?

“Fora do Mercado não há salvação.”
“ A História atingiu o seu auge. O Fim da História”(Fuquyama)

Muito se falou e ainda muito se escreve sobre o “Fim do Mundo”. Uma interpretação literária dos textos bíblicos (Gênesis-Apocalipse) nos leva a isso.

O “Criacionismo”, a teoria que toma o texto, na sua literalidade, nos levou a crer assim, e assim nossos pais foram educados e nós com eles.

Com isso chegamos a beira do Fundamentalismo, que é entender o texto em si mesmo, sem levar em conta seu entorno cultural. Na hermenêutica fala-se então em: Texto- Contexto-Pretexto. Pretexto é a tentativa de fazer o texto brilhar no cotidiano de nossas vidas, no mundo atual.

E já que vivemos em outro entorno cultural (Física Quântica),no qual o Fundamentalismo não se justifica mais e com ele o Criacionismo, o evolucionismo (“Big Bang”) vai se tornando a interpretação mais plausível. No seu interno, nós cristãos e demais pessoas religiosas temos que interpretar os desígnios de um Deus-Criador, dentro do contexto no qual vivemos.

A coisa se complica. Muita gente torna-se esquizofrênica, passa a viver com o conflito de dois mundos, de duas verdades: a verdade dos textos sagrados e a verdade das conquistas científicas.

É bom lembrar que em certos Estados da América do Norte é obrigatório a doutrina do Criacionismo no ensino fundamental. O diálogo Ciência-Religião, Religião-Ciência, Cientista-Teólogo, Teólogo-Cientista, volta à tona. Não se excluem, antes se completam, numa nova cosmogênese, numa nova antropogênese, tendo a visão holística da Realidade como ponto norteador.

Mas, no momento, estou mais interessado em outra coisa: “Há salvação para o capitalismo? Com ele teríamos chegado ao “Fim da História”? Seria ele o apogeu de nossa evolução, enquanto expressão maior de nossa capacidade inventiva, enquanto construção de um modo de vida humano? A introduçãp a esta reflexão visa refutar o “fundamentalismo econômico” de quem defende o capitalismo neoliberal como “o fim da História”!

Seria ele o último, o mais perfeito sistema econômico de como produzir e distribuir o que necessitamos para garantir nossa sobrevivência e das gerações futuras? Ele se sustenta a si mesmo como totalidade?

Defendemos a tese, e mais do que isso, a convicção de que não. Suas estruturas, o modo como se originou e de como se mantém são suicidas, Trazem em seu bojo os vermes de sua própria destruição. A crise atual do mercado financeiro já não é mais periférico, pontual, mas, estrutural

As contradições intrínsecas do sistema o conduz à sua autodestruição. Faz pensar na metáfora da cobra que se vira para a própria cauda e começa a engolir a si mesma, morrendo sufocada!

O Mercado tornou-se o valor maior, o valor supremo, diante do qual temos que nos submeter. Isso nas Ciências da Religião e na Teologia chama-se idolatria. E os ídolos são vorazes consumidores de vítimas. Na atual evolução do Capitalismo, o Capitalismo Virtual, são milhões.

Segundo a FAO, organismo da ONU para a Agricultura e Alimentação, somos 6,5 bilhões de pessoas no planeta, das quais metade vive abaixo da faixa da pobreza, e 854 milhões sobrevivem com fome crônica (Betto, frei:2008).

O problema da fome não se explica pelo excesso de bocas, pela explosão demográfica. Segundo a mesma FAO, o mundo produz o suficiente para alimentar 11 bilhões de bocas.

E poderia produzir muito mais caso o potencial científico-tecnológico-financeiro fosse direcionado com este intento. O que nos falta é justiça, vontade política para engendrar um novo sistema produtivo e respectiva distribuição.

Certamente será um dos subtemas a ser estudado no Fóro Social das Américas a se realizar na primeira semana de outubro/2008, na Guatemala, como preparação ao Foro Social Mundial, janeiro/2009, em Belém do Pará.

“Um outro mundo é possível, é necessário”!

Frei Cristóvão Pereira ofm.
freicristovao@gmail.com

segunda-feira, setembro 15, 2008

Encontros de ex-seminaristas

Mais outro grupo de ex-seminaristas deverá realizar o 1º encontro: é o dos ex-seminaristas crúzios Escola Apostólica Santa Odília, em Campo Belo, no sul de Minas Gerais e será nos dias 27 e 28 de setembro.
Um dos responsáveis é o José Rafael Cabral (veja o perfil dele no Orkut).
O grupo tem, também, uma comunidade no Orkut: Seminário de Campo Belo

VI Encontro dos ex-seminaristas do Ex-Seminário da Imaculada de Campinas - SP no dia 18 de outubro em Indaiatuba. O responsável é o José Claúdio.

Nos dias 11 e 12 de outubro será realizado o encontro dos ex-seminaristas do Verbo Divino, no Instituto Missionário São Miguel, na Borda do Campo, em Antônio Carlos, Minas Gerais.

Nos dias 18 e 19 será a vez dos ex-seminaristas lazaristas no Seminário do Caraça, em Santa Bárbara, Minas Gerais.

Datas dos Encontros dos Ex-Seminaristas Calabrianos em 2008:
Porto Alegre - 28/09/2008 - Centro de Orientação Vocacional - COV
Farroupilha - 07/12/2008 - Encontrão Anual em Farroupilha


O Tachinha (eu) participou, em agosto, do encontro dos ex-seminaristas redentoristas (Congonhas e Juiz de Fora) no Seminário da Floresta, em Juiz de Fora; e, em setembro, dos salesianos em São João del Rei.

Se algum "ex" quiser saber notícias sobre estes e outros encontros é só enviar um e-mail para o Tachinha: tachinha@gmail.com e/ou visite a minha página: www.gregoriano.org.br

Artigo do Rosário: Evolução ou Nova Era

Leia abaixo mais um artigo enviado pelo Rosário Américo:

Paz plena...

Irmãos e companheiros do ENFRADES.

Esse meu artigo, que foi publicado no dia 05/07/2008 foi escrito em um tamanho bem superior ao exigido pelo jornal e foi me pedido para fazer uma redução. Fiz e o jornal ainda fez mais reduções, mas resolvi publicar aqui o texto inicial, sem nenhum corte ou redução.
Sei que esse assunto é polêmico, mas àqueles que defendem a tese de que o "Universo existe desde toda a eternidade", eu faço apenas esse comentário: 'Os astrônomos defendem que o Universo está em expansão e se então pensarmos no inverso, torna-se fácil entender que haverá um redução e chegaremos a um momento do início do Universo, que foi criado por Deus.
Como Deus é o Eterno Presente, então para só existe o presente. O passado só existe para quem foi criado e que ainda não conhece o futuro.

201 - Evolução ou Nova Era? - publicado em 05/07/2008.

O universo teve início, que está perdido nas poeiras do tempo, e nunca terá fim, pois o futuro nunca chegará: é algo infinito. Para entender isso melhor, vamos analisar a evolução do conhecimento. Os seres humanos sempre aprendem com os seus antecessores e vão aprimorando o próprio conhecimento. As situações de instabilidade, de caos, de probabilidade e do não-equilíbrio são causadas pela falta de sabedoria. No universo tudo tende para o equilíbrio dentro do dualismo da criação. Uma balança perfeita é a que pesa correto ou quando os seus dois pratos estão equilibrados e o marcador tem que estar no centro.
Grandes pensadores, que ainda não possuíam idéias claras e perfeitas, utilizaram da perfeição da matemática pura para complicar as idéias com sofismas filosóficos; como duas retas paralelas se encontram no infinito ou utilizam da equação da reta para negar a existência da própria reta. Quem defende o caos como a origem da criação e da vida ainda está longe da compreensão da verdade.
Deus iniciou a criação, que nunca mais terá fim. O que poderá ter fim são partes da matéria ou mesmo do universo por um processo originado de seres não perfeitos. Um manvântara, idéia oriental de um ciclo da criação, é equivalente a 311.040 trilhões de anos e um dia de Brahmã, um ciclo menor, possui 432 bilhões de anos e representa a expiração e aspiração de Brahmã de tudo o que existe. O dia de Brahma, que é um buraco negro, não acontece com todo o Cosmo, mas com parte do mesmo e aí temos uma prova que as religiões já sabiam de uma forma não concisa da existência dos "Buracos Negros" na imensidão do Cosmo.
Toda sociedade, que ainda não é perfeita, é dirigida por um sistema de hierarquia, que é representada por uma pirâmide. No posto mais alto só existe um ser, que sempre terá a última palavra. No Cosmo esse ser é Deus e em todos os outros subsistemas sempre haverá alguém ocupando o cargo maior, mas que sempre estará em sintonia com Deus, que é o primeiro criador. Quando a base da pirâmide é reduzida tem-se como limite uma linha perpendicular e quando aumentada, o limite é uma linha horizontal. Nos dois limites temos o egoísmo, o absolutismo e o anarquismo total ou a perfeição total, pois ninguém será chefe de ninguém, todos farão o que quiserem e todos terão seus direitos respeitados, mas também cumprirão suas responsabilidades. Só teremos uma sociedade perfeita, quando todos os membros viverem e conviverem em perfeita harmonia, isto será a paz plena.
Como vivemos numa sociedade, que busca a perfeição, então estamos num constante processo evolutivo. A forma hierárquica mais perfeita é a representada pela figura piramidal, cujos lados e a base formam triângulos eqüiláteros, ou conoidal, onde o diâmetro da base seja igual aos lados do cone. Continuando o raciocínio para o Cosmo, que é dirigido por um ser plenamente perfeito, Deus, tem que ter a forma de uma imensa bola, que teve o seu início e está em eterna expansão. A bola, o círculo e outras figuras perfeitas demonstram que a perfeição é possível: "Portanto, deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito" (Mt 5,48).
Rosário Américo de Resende.
Belo Horizonte, 14/06/2008.

domingo, setembro 14, 2008

Piada do José Juventino: Dízimo

Leia abaixo a piada enviada pelo José Juventino (Jumentinho).

Manoel e Maria estão num vôo para a Austrália para comemorar o 40º aniversário de casamento.
De repente, o comandante anuncia pelos alto-falantes:
- Senhoras e senhores, tenho notícias muito ruins. Nossos motores estão parando de funcionar e vamos tentar um pouso de emergência. Por sorte, estou vendo uma ilha não catalogada nos mapas logo abaixo de nós e vamos tentar aterrissar na praia.
Ele aterrissou com êxito, mas avisou aos passageiros:
- Isto aqui é o fim do mundo e é muito provável que a gente não seja resgatado e tenhamos que viver nessa ilha pelo resto de nossas vidas!
Nessa hora, Manoel pergunta para a mulher:
- Maria, você pagou o dízimo da Igreja Universal este mês?
- Ai, me perdoa Manoel. Eu me esqueci completamente!
Manoel, eufórico, agarra a mulher e tasca o maior beijão de todos os 40 anos de casamento.
A Maria não entende e pergunta:- Manoel por que você me beijou desse jeito?
E ele responde:- Eles vão nos achar !!!