segunda-feira, novembro 24, 2008

Piadas variadas

Leia abaixo duas piadas que fazem parte do Boletim Redex, informativo semanal editado pelo Geraldo Pena, com notícias e artigos sobre os ex-seminaristas salesianos.


Diz a lenda que Ruy Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal. Chegando lá, constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus amados patos, disse-lhe:

- Oh, bucéfalo anácrono! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelfa e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à qüinqüagésima potência que o vulgo denomina nada.

E o ladrão, confuso, diz:

- Dotô, resumindo, eu levo ou deixo os patos?

(contribuição do João Sossai)


PRIMEIRA PIADA DE HOMEM LOIRO

Um japonês, um baiano e um loiro estavam trabalhando na construção de um edifício de 20 andares. Eles começaram a abrir suas marmitas para almoçar e o japonês disse, irritado:

- Sushi com sashimi de novo! Se eu abrir essa maldita marmita amanhã e encontrar sushi com sashimi me jogo desse prédio!

O baiano abriu sua marmita e gritou:

- Vatapá de novo! Se amanhã meu almoço também for vatapá, me jogo daqui!

O louro abriu a sua e disse:

- Sardinha de novo! Não !!! Se meu sanduíche amanhã for de sardinha de novo, me jogo também!

No dia seguinte o japonês abriu sua marmita, viu o sushi com sashimi e pulou para a morte. O baiano abriu sua marmita, viu o vatapá e pulou também. O louro abriu o sanduíche, viu que era de sardinha e também se jogou do prédio...

No enterro, a mulher do japonês chorava sem parar, dizendo:

- Se eu soubesse o quanto ele estava cansado de comer sushi com sashimi, eu nunca mais teria posto na marmita dele!'.

A mulher do baiano também chorava:

- Eu poderia ter feito acarajé ou cuscuz! Não percebi o quanto ele estava odiando comer o vatapá!'

Todos se voltaram e olharam para a esposa do loiro:

- Ei, nem adianta olharem prá mim, ele sempre preparou a sua marmita sozinho!

(contribuição do Editor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário