sábado, março 29, 2008

Globalização da violência nossa de cada dia.

Segue abaixo as reportagens enviadas pelo nosso amigo Paulo Roberto (Batata) que mora no Rio de Janeiro e vejam como anda este nosso mundo com a violência cada vez mais banal e globalizada.
O Batata morou com a sua família por um ano em Paris e como seu filho Paulo Roberto fez amigos na capital francesa ele foi passar a Semana Santa para visitá-los.

A primeira nota foi publicada na página do jornal Globo Online, do Rio de Janeiro, na coluna do Ancelmo Góis, onde você pode ver a notícia no original.

Enviado por Ana Cláudia Guimarães - 27.3.2008 | 9h04m

Não pode

Lá e cá



O estudante brasileiro Paulo Roberto Araújo de Oliveira, de 27 anos, foi atacado no último domingo, por dois homens, nas proximidades da Torre Eiffel, em Paris (foto acima).

Paulo, que tinha ido passar a Semana Santa na França, foi encontrado por policiais e levado para um hospital, com ferimentos provocados por socos e pontapés (a foto abaixo). Ele perdeu apenas um relógio e voltou ao Rio na terça-feira, para se recuperar.



A notícia abaixo notícia foi publicada na primeira página do site do jornalista Sidney Resende.


Vandalismo, covardia e violência na Cidade Luz
Rafael Leal - 29.03.08


Foto: Arquivo pessoal

Paris é conhecida pelos seus famosos pontos turísticos, seus caros e elegantes restaurantes e por suas belas boulevards. Porém, o estudante de administração de empresas, Paulo Roberto Araújo de Oliveira, de 27 anos, viu um lado da Cidade Luz que é não muito conhecido ao redor do mundo.

Paulo Roberto, que passava o feriado da Páscoa na cidade, foi atacado e seriamente espancado por dois agressores, na madrugada de sábado para domingo, quando voltava para casa onde estava hospedado, nos arredores da Torre Eiffel. Havia um pequeno movimento de pessoas na rua, mas nem isso impediu a ação dos vândalos. O estudante brasileiro não sabe o que motivou o ataque, já que apenas seu relógio foi levado. Ele não descarta que o ataque tivesse razões xenofóbicas.

“Não sei se eles me abordaram para roubar, ou se foi só um ato de covardia mesmo. Eu fiquei indignado com o acontecido. Duvido muito que essa atitude tem sido motivada apenas por uma questão de roubo. Foi um vandalismo, até mesmo xenofobia, não sei ao certo”, disse o estudante em entrevista ao SRZD.

Durante o espancamento, o brasileiro foi chutado diversas vezes quando estava no chão e chegou a desmaiar. Quando recuperou os sentidos, tentou ir para casa, mas encontrou alguns policiais que o encaminharam a um hospital. Apesar do enorme susto, foram constatadas apenas uma fratura no nariz e algumas escoriações na cabeça.

Outro fato que causou espanto em Paulo Roberto foi a falta de policiamento no local. Bastante ferido e somente após caminhar por cerca de 15 minutos, os primeiro policiais foram avistados em uma patrulha.

Paulo Roberto, agora de volta ao Brasil e se recuperado bem do ataque sofrido, deixa um recado aos que acham que tudo são flores e encantos na capital francesa.

“Minha preocupação é com os brasileiros que vão a Paris achando que estão numa cidade tranqüila, quando na verdade o perigo acontece em qualquer lugar. Não importa se é Rio de Janeiro ou qualquer outra cidade. A diferença é o tipo de violência, mas ela está presente em todos os lugares”.

Um comentário:

  1. que horror hoje em dia a violencia está terrivél

    ResponderExcluir