sábado, abril 21, 2007

Artigo do Rosário: Teologia de Sangue

Leia abaixo o último artigo enviado pelo Rosário:

Paz plena... Paz plena... Paz plena...Irmãos e companheiros de evolução do ENFRADES. Desde menino eu ficava pensando com os meus botões: ' Como o bom e amado Deus deixou fazer toda aquela covardia com Jesus. Para mim, era muito mais perfeito que Deus perdoasse os homens por causa da ignorância dos próprios homens do que exigir o sangue do meu querido Jesus derramado na cruz '. Mas toda vez que tentava falar isso ouvia dos adultos ou dos professores: "Não, com o sacrifício de Jesus na cruz, Deus mostrou a imensa bondade dEle para com toda a humanidade". Mas eu continuava pensando: 'Mas tinha que matar o próprio filho para nos perdoar. Por que Deus não perdoou sem exigir a morte do filho dEle? Tem coisa errada aí'. Mas fiquei em silêncio até o ano de 1980, quando comecei a entender os erros, que me foram ensinados como verdades indiscutíveis e uma delas é a "teologia de sangue". Eis mais um artigo meu, que foi publicado no jornal O TEMPO, hoje, dia 21/04/23007.
Paz plena... Rosário.
171 - Teologia de sangue - publicado em 21/04/2007.
Parabéns ao escritor Paulo da Silva Neto Sobrinho pelo esclarecedor artigo: "Sacrifício de Jesus" (Opinião 19/4). Realmente os teólogos cristãos ensinam que o sangue de Jesus derramado na cruz foi para redimir o gênero humano do infantil e mitológico pecado de Adão e Eva, que é também conhecido como o pecado original.Esse ensinamento tem dois graves erros, por causa da ignorância dos primeiros teólogos cristãos, que continuam sendo ensinados como verdadeiros até hoje. O primeiro erro vai de encontro a outros ensinamentos bíblicos: "Os pais não serão mortos em lugar dos filhos, nem os filhos em lugar dos pais. Cada um será executado por seu próprio crime" (Dt 24,16). O mesmo ensinamento está em Ezequiel 18,20. Então fica claro que a heterorredenção não pode ser verdadeira, como ensinam os teólogos cristãos. O segundo erro é porque nos apresenta um Deus imperfeito e até perverso, que só perdoou a humanidade porque alguns homens traíram, torturaram, crucificaram e mataram Jesus na cruz.Esse Deus, não bom, só se reconciliou com a humanidade pelo sangue de Jesus, tese esta contida em outros trechos bíblicos, como no cumprimento do vil voto do juiz Jefté, que sacrificou a própria filha a um espírito (Juízes 11, 29 a 40). Os estudiosos da Bíblia silenciam em torno deste cruel e criminoso ato ou ainda aceitam que o espírito era Deus. Hoje, ninguém mais aceita um ato como esse e o considera um crime; então, na antiguidade também tinha que ser.Rosário
Américo de Resende.
Ex-professor da UFMG.
Belo Horizonte, 20/04/2007.

sexta-feira, abril 20, 2007

Cervejinha de quinta-feira: 19 de abril - Eu também fui.

O Dante (Elefante - 64/67) é um dos leitores assíduos do Blog do Tachinha e ao ler a notícia sobre a cervejinha de ontem e já mandou um e-mail hoje cedo reclamando pelo esquecimento do Tachinha que não colocou o nome dele na relação dos participantes.
Dante, o Tachinha volta e meia fica meio passado e na hora de dar a notícia sempre fica um nome para trás.

Cervejinha de quinta-feira: 19 de abril

A cervejinha desta quinta-feira, dia 19, contou com as presenças do Eustáquio Tadeu (Siri), Alex Fantini, Carlos Augusto (Coelhinho), Carlos César (Palito), Tachinha, Geraldo Magela (Serrote), Ronaldo Armod (Gordo), que há um bom tempo que não aparecia; Amaury e, na mesa ao lado, o Milton, ex-seminarista do Verbo Divino, da Borda do Campo, em Antônio Carlos, perto de Barbacena.
O Palito apareceu lá na cervejinha com a boa notícia de que estava vindo do hospital e que o Francisco Eustáquio (Jiló) terá alta no sábado.
Cheguei em casa e vi uma reportagem no Jornal do SBT sobre o engenho do Rubens Chaves (Rubinho), irmão do Jaburu, e que é o mais antigo engenho em funcionamento do Brasil. O Rubinho mora em Coronel Xavier Chaves, perto de São João del Rei, onde tem uma pousada e produz uma cachaça muito apreciada pelos que gostam da branquinha. A pinga dele tem a marca de Cachaça Século XVIII (antiga Boa Vista). O Rubinho e seu engenho já foi tema de reportagem de várias revistas e jornais, inclusive da Playboy, onde ele apareceu de roupa.

terça-feira, abril 17, 2007

Jiló no hospital








O nosso querido amigo Francisco Eustáquio Pereira Rocha (Jiló - 62/66), infelizmente, teve que amputar a outra perna e peçamos a Deus que o livre de ser sócio do Hospital das Clínicas e não volte mais para nenhum hospital e fique em casa levando a vida, agora com uma dificuldade a mais.

Ele está no Hospital das Clínicas - apartamento 1.012 - e deve ter alta dia 18 ou 19.
Felizmente ele tem um astral muito bom, pois após fazer um bom tempo de hemodiálise e em seguida fazer um transplante bem sucedido de rins enfrentou estas duas batalhas nas suas pernas por causa do diabetes.
O Jiló, para quem não conhece ou não se lembra é de Abaeté e aí vão duas fotos dele junto com o Carlos César (Palito) e Frei Cristóvão. Uma é de 1966 e a outra é do Enfrades de 2004, último encontro do qual o Jiló participou.