segunda-feira, dezembro 10, 2007

Mercado Central

Leia abaixo a resposta de um e-mail que o Tachinha mandou para o Mercado Central criticando a entrada de uma loja da Ricardo Eletro no lugar onde funciona um armazém no estilo antigo, com balcão para atender os fregueses.
Para quem não sabe o Mercado Central é um dos pontos turísticos mais visitados por turistas que vêm a Belo Horizonte e a entrada de tal loja de eletrodomésticos irá descaracterizar bastante o tipo de lojas do mercado e o medo é que depois outras lojas do gênero ou outro tipo de comércio comecem a se instalar no mercado: Ponto Frio, Casas Bahia, Magazine Luiza, Tim, Oi, Claro e outras e, então...adeus Mercado.
Quem quiser conhecer o mercado pela Internet é só visitar a página: www.mercadocentral.com.br A página, inclusive, tem uma rádio com música popular brasileira.
O Mercado Central é o quintal do Tachinha e tem alguns "despeitados" dizendo que ele mora na zona (central...é claro).
Como enviei a reclamação na própria página do Mercado eu não gravei o teor da mensagem, mas a resposta foi esta.

Subject: Resposta email Mercado Central

Sr.(a) infelizmente a diretoria não tem autonomia sobre a definição do ramo de atividade, isso compete ao nosso conselho que aprovou previamente a instalação do Ricardo Eletro.
Algumas lojas modernizam o mercado de acordo com o tempo (drogaria Araujo tem mais de 100 anos e alguns caracterizam que ela descaracteriza) os tempos mudam e as atividades também, se adaptando aos novos tempos. A diretoria se preocupa com essas mudanças, porém, que o associado é proprietário tendo certa liberdade de comercialização. O Sr Olímpio, proprietário do Supermercado tem 90 anos e está aqui desde 1932 quando veio para Belo Horizonte como carroceiro. Infelizmente ele não deixou sucessores, os seus filhos tem mais de 60 anos e já estão aposentados, não restando a ele outra alternativa a não ser repassar o ponto.
A diretoria sente muito essa mudança, porém não conseguimos outro supermercado para se instalar no local pois o espaço do mesmo é muito pequeno para os modelos de supermercados de hoje. A modernidade fez sucumbir este modelo tipo armazém. O custo do aluguel e da manutenção desta atividade são inviáveis e os proprietários tem que cumprir os compromissos que ficaram durante muitos anos com baixa lucratividade, sendo que a melhor proposta para eles foi a do Ricardo Eletro que cumpriu todas as exigências fazendo um contrato todo na forma mas correta, inclusive no que tange ao pagamentos dos impostos que ocasionaram com essa transferência.
Na década 70 tivemos a maior descaracterização que foi ocasionada pelo surgimento da Ceasa, dos sacolões e supermercados, praticamente extinguindo o ramo de hortifrutigrangeiros no mercado. Nem por isso o mercado deixou de ser o Mercado Central e hoje mesmo assim somos um ponto de referência em Belo Horizonte , culturalmente e turisticamente.
O Mercado Central é uma instituição privada desde 1964 e soubemos muito bem construir e renovar um espaço que a prefeitura não conseguiu e resolveu privatizar. Agora aos seus 90 anos, doente e precisando fazer recursos para se prover, o Sr Olímpio e seu Irmão Olinto, tomaram essa decisão que foi um trauma para suas vidas, mas inevitável. Seria muito injusto se depois de estar aqui a 75 anos eles não pudessem fazer o que acham melhor neste momento da vida para poderem descansar com os recursos proveniente do imóvel que lhes resta.
Nem por bastar a diretoria pede a todas essas pessoas que amam o mercado que nos ajudem, pois não conseguimos ninguém para ocupar tão importante espaço nas característica que todos nós desejamos e que atendam as necessidades do Sr Olimpio e seus familiares. Quem sabe pode surgir uma boa idéia sem demagogias?
Lembramos que o contrato com o Ricardo eletro está assinado e pago, qualquer alteração no destino desta negociação ocasionará reflexos financeiros que tem que ser avaliados. Então a sua forma de manifestação pode atrapalhar os comerciantes que não tem nada haver com esta negociação e se gostas realmente deste local tenho certeza que fará forma de ajudar e não de piorar algo que já nos deixou profundamente infelizes.
Lembramos que esse fato é isolado e que com certeza não virão outras lojas do ramo concorrente. Esperamos que mais esta nova etapa seja vencida pelos comerciantes que lutam pelo destino de seus comércios para que o mercado continue sendo a casa do povo de Belo Horizonte.
Muito obrigado por gostar do Mercado Central.

Macoud R Patrocínio

Diretor Presidente

Um comentário:

  1. Não acredito em uma só palavra do que eles disseram, é claro que podem fazer alguma coisa sim, que absurdo!
    Olha estou revoltada com a instalação dessa loja no nosso querido mercado, eu e um amigo vamos mandar e-mails para deputados e vereadores pedindo ajuda e vou divulgar isso para meus amigos para que façam o mesmo, não podemos ficar de braços cruzados diante disso.
    Gostaria de poder contar com sua ajuda e de quem passar por aqui, no site da assembleia tem como enviar e-mail, poderia contar com vc?
    Abraços,
    Nani

    ResponderExcluir