terça-feira, dezembro 18, 2007

Mensagem de Natal

Segue abaixo a mensagem de Natal enviada pelo Paulo Botelho (Debanda).

MENSAGEM DE NATAL
Por Paulo Botelho

“Minha Senhora Dona,
Um Menino nasceu,
O Mundo tornou a começar”.

Grande Sertão: Veredas. Guimarães Rosa.


Surdo-mudo, pequeno e frágil, chamava-se Alcides. Nada se sabia de seus pais, irmãos, parentes, seu sobrenome. Expulsava os gambás dos galinheiros e roçava as ervas daninhas ao redor das sedes das fazendas, em troca de um caldo de feijão e de uma pousada na estrebaria. Ia sobrevivendo de roça em roça no eixo Muzambinho-Monte Belo, em Minas Gerais.

Certa vez, logo ao amanhecer, acenou pedindo à dona América Bueno Alves, dois ovos, uma porção de farinha de trigo, açúcar, manteiga e leite. Misturou tudo com uma colher de pau e levou ao forno de lenha para assar. Até hoje sinto o cheiro e o sabor daquele bolo tão gostoso! – Era a gratidão de Alcides pela acolhida de minha bisavó.
Alcides foi o primeiro ambientalista que conheci. Ele era capaz de chorar por não poder impedir a morte de um animal; por não poder evitar a derrubada de uma árvore; por não poder socorrer alguém com fome! – E ninguém, melhor que ele, sabia fazer a arrumação de um presépio: o capim, a manjedoura, o boi e o burro a ruminarem o mistério do Menino Deus, nascido da “Senhora Dona”!

A partir dessas lembranças, sempre recorrentes, fico pensando na dimensão daquele homem, tão franzino, em agregar, em abraçar, em religar. – E religar, no seu sentido teleológico, significa fazer ponte para o entendimento, pela compaixão!

A vida do Menino que renasce a cada ano foi um morrer pelas pessoas. Ele era totalmente vazio de si mesmo para poder ser cheio dos outros. O Menino que renasce no Natal se repete, inesgotável, em qualquer criança que chega ao Mundo. Victor Hugo dizia: “Existe uma criança eterna em nós e que a cada dia quer renascer”. – E a ressurreição é, portanto, a vitória sobre a morte – aqui e agora – sob a forma de luta política contra a fome, a desnutrição, a doença, a ignorância, o preconceito, a opressão, o medo!

Há uma proposta milenar: “Amai-vos uns aos outros!” – É esta a excentricidade que o Menino da “Senhora Dona” veio ensinar ao Mundo. – Só conseguimos ganhar, se somos capazes de doar!

O presépio do Alcides: o boi, o burro, o capim, a manjedoura, o pai, a mãe. – E a estrela de luz e esperança!

O Natal é único e é preciso que seja lembrado: o das crianças e seus presentes. – E o dos adultos e os seus ausentes!

FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Professor e Consultor de Empresas para Programas de Engenharia da Qualidade, Antropologia Empresarial e Gestão Ambiental. Membro da SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. www.paulobotelho.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário