segunda-feira, novembro 28, 2005

Condolências:

Hoje, com muito pesar, envio os meus votos de condolências ....???? para vários amigos do Enfrades: Helvécio (Jaburu) e a todos os seus irmãos - com exceção do Dedeu - Manoel Faria, Noraldino (Chibeta), Ronaldo Armond (Gordo), Ricardo Cruz (Grilo), Afrânio Cheib e outros mais que a esta altura estão sofrendo com as tristes e graves conseqüências da gripe "aviária" que, felizmente, não chegou ao Brasil, mas chegou a um "determinado galinheiro" e fez uma carnificina geral. Para que os nossos grandes amigos envio os meus sentidos pêsames e uma palavra de consolo e plagiando o nosso saudoso amigo Lídio Pereira (Piau) que, apesar ter pertencido ao mesmo grupo étnico e já estar no céu, está imune às conseqëncias desta terrível e discriminatória doença : Requiescant in pacem in galinhaerorum secundorum!
O Aloísio Tirado (Jaó), profetizando a chegada da gripe "aviária", havia dito que os tais amigos que um dia imaginavam entrar para a OFM - Ordem dos Frades Menores -, agora entraram para a OTM - Ordem dos Times Menores.
Hoje, apesar desta desgraça que atingiu o citado grupo étnico-galináceo - conseqüência da globalização e da Internet - o nosso amigo Jaburu, além das condolências, merece os nossos mais alegres cumprimentos por mais um ano de vida e que as nossas orações cheguem até aos ouvidos de Deus para que ele continue firme por muitos e muitos anos em nossa convivência.

Falecimento

O Ely Oliveira (Mico) deu a má notícia do falecimento, dia 23/11, do José Amâncio de Azevedo (Vó), do meio da década de 40. O José Amâncio estava morando em Montes Claros e tem um filho, Pedro Paulo da Silva Araújo, que estudou em Santos Dumont em 1966. Os nossos sentimentos de pesar a toda a família do nosso saudoso Vó. Requiescat in pace!

Opereta do Frei Joel.

Dia 25 foi encenada a opereta Legenda de Santa Clara sob a batuta do frei Joel, o Coral Trovadores da Mantiqueira e os atores de Santos Dumont. Foi uma peça muito bonita e uma pena que a forte chuva que caiu um pouco antes da peça atrapalhou um pouco a presença de mais pessoas para assistirem a peça. Da turma antiga do Enfrades apareceram o Tachinha, Manoel Faria, Geraldo Corcini, Pacífico Guimarães (Lua), José Lembi, Narciso (Foguete), Marcelo Brandão, Francisco Motta, Alonso Ferreira (Brigite), Márcio Américo (Jerwázio). Ao final, completando a emoção e a beleza da peça, o frei Joel fez a platéia cantar a Oração de São Francisco junto com o coral. Valeu frei Joel.
No sábado a peça foi encenada em Divinópolis e soube que lá, por ser uma cidade onde os franciscanos sempre tiveram uma boa presença, o teatro estava cheio, ao contrário de de Belo Horizonte que só tinha 1/3 de ocupação.

Artigos do Rosário:

108 - Corpus Christi - Publicado em 06/06/2005

Parabéns ao cônego José Gerando Vidigal pelo artigo: “A festa do corpo e sangue de Cristo” do dia 26/05/2005. Quero ressaltar o que foi comentado sobre o papa Urbano IV, eleito em 1261, que antes havia conhecido a santa monja Juliana e tinha percebido a luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos.
Para mim, tudo que envolve as religiões e os cultos está baseado em “magia” e cada espírito encarnado possui a sua própria magia ou a sua vontade. O objetivo de cada líder religioso depende do seu grau evolutivo. Os que fundam religiões têm como finalidade de buscar as coisas de César ou de serem os donos da nova religião, mas sempre utilizam falsamente do nome de Deus e ou de Jesus.
Os verdadeiros líderes religiosos, que nos mostram o caminho do amor, da pureza e da busca da casa do Pai nunca fundam novas religiões, mas procuram aprimorar os sistemas religiosos existentes. Assim foi com o Mestre Jesus, São Francisco de Assis, madre Teresa de Calcutá, irmã Dulce da Bahia, Francisco Cândido Xavier e muitos outros. Estes venceram a própria vaidade e o orgulho de quererem ser os donos de religiões, mas apenas mostraram o caminho do auto-aperfeiçoamento e ganharam o prêmio da vida eterna.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 06/06/2005.

109 - Corrupção e poder - publicado em 28/06/2005.

Agradeço ao teólogo Leonardo Boff pelo artigo: “Corrupção e poder” de 17/06/2005, pois deu-me oportunidade de fazer alguns comentários complementares sobre o assunto. Discordo das posições do lorde John Emerich Edward Dalberg-Acton e do filósofo Kant, pois ambos defendem que os seres humanos não conseguem se aperfeiçoarem. Parece que eles não conheceram esse ensinamento de Jesus: “Portanto, deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48).
A referência feita ao pecado original não esclareceu nada e, para mim, a teoria desse pecado foi fruto da ignorância de seus defensores, que na conseguiram entender a perfeição do Criador e a infância da criatura. Nunca houve o pecado original, mas existem os problemas e as falhas individuais dos espíritos na busca da perfeição, e, também, quando vão se aperfeiçoando pelas vidas sucessivas vão compreendendo cada vez mais a perfeição da Divindade.
As mais difíceis provas, que temos que vencer em nossas caminhadas evolutivas, são as da riqueza e do poder. A corrupção não tem correlatividade com o poder, mas com o nível evolutivo do ser que mantém o poder. A divisão do poder não evita a corrupção, mas pode até aumentá-la, pois faz com que os frutos do poder sejam utilizados para comprar os responsáveis por parcelas do poder. Aqui está o campo fértil do nascimento da corrupção. A solução só virá quando um ser evoluído e puro de coração alcançar o poder absoluto e por meio da legalidade, esse sistema é empregado na Igreja Católica e ela já sobrevive há dois mil anos. Esse processo só tornar-se-á possível para todos quando for implantado o governo messiânico e divino no meio da humanidade. Nessa época serão inibidas todas as formas de corrupção e haverá justiça para todos: ‘será o início da era da paz plena’.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 20/06/2005.

Artigos do Rosário:

106 - Evolução cósmica - Publicado em 24/05/2005

Parabéns ao jornal O TEMPO pela fantástica entrevista com o senhor Luiz Gonzaga Scortecci de Paula no dia 17/05/2005: “Transição planetária segundo os ETs”. Realmente existem muitas transferências de seres pensantes entre os diversos sistemas planetários do cosmo. O objetivo primordial de cada ser é a sua evolução ou a conquista da perfeição. Quando um aprende ele procura ensinar aos outros e ai toda a comunidade vai se harmonizando, permitindo assim a evolução e a convivência pacífica entre todos os sistemas de vida no cosmo e o planeta terra é um desses sistemas. Muitos dos atuais habitantes da terra iniciaram suas caminhadas evolutivas em outras galáxias e por causa da evolução do cosmo hoje eles estão aqui.
Só consegui a minha libertação mental quando descobri quem sou, de onde vim, para o quê estou aqui e para onde irei. Perdi o medo de tudo e passei a viver realmente livre.
A nossa constituição física está passando por importantes transformações e muitas experiências já vividas por alguns seres dificilmente serão aceitas pelo atual estágio das nossas ciências e até por nossas atuais religiões, que ainda se escondem na ignorância da fé, no labirinto dos milagres e mistérios.
Como prova do que estou escrevendo digo que no dia 02/02/1991, após fazer um envolvente trabalho mental com o objetivo de por um fim na Guerra do Golfo, recebi um fulminante ataque do plano astral e tive uma parada de coração por várias horas, mas caminhei, dirigi carro e alimentei com líquidos. No exato momento só contei a experiência para a minha esposa, pois decidi que tudo teria que ficar em segredo e não queria ser cobaia da medicina.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 19/05/2005.

107 - Barra pesada - Publicado em 29/05/2005

Parabéns pelo artigo do “magazine” de 22/05/2005, onde se comenta os trabalhos de gravação do filme “Batismo de Sangue”.
Toda vez que leio algo sobre os acontecimentos de 1964 até ao início da década de oitenta, discordo em parte dos que escrevem condenando tudo o que aconteceu por parte dos militares, que tinham a responsabilidade de proteger o povo. Eu tenho uma cicatriz na clavícula esquerda, resultado de uma cacetada, que foi obra de um agente do DOPS e eu não tive nenhuma culpa, apenas era aluno da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG.
A maioria dos revolucionários, que foram para a clandestinidade, não eram santos e nem santas. Todos estes eram doutrinados para matar, pois o objetivo era a conquista do poder central pelas forças revolucionárias. Eles aprenderam que tinham que matar, pois esta era a única solução e isso nunca foi democracia em lugar nenhum. Hoje algum cubano em Cuba pode levantar a voz contra o Fidel Castro e continuar livre ou até vivo? Os guerrilheiros de Fidel tomaram o poder do ditador Batista e colocaram outro no lugar. Alguém sabe me contar quantos europeus do leste morreram durante os regimes comunistas, que foram implantados pela força dos tanques, das armas e das matanças? Este era o regime que queriam trazer para cá.
A solução sempre esteve na vivência harmônica de todos com muito amor e respeito, na divisão perfeita entre todos os indivíduos do valor da produção de uma comunidade, mas isso ainda não está sendo praticado no nosso Brasil. O atual governo central só defendia estes princípios antes de terem o poder nas mãos. Falar é muito fácil, o difícil é fazer.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 23/05/2005.

Artigos do Rosário:

O Rosário que estava há um bom tempo sem enviar os artigos dele, agora resolveu mandar um monte de uma vez. Os artigos são cartas que são publicadas no jornal O Tempo, de Betim.
104 - Hipocrisia (Aborto) - Publicado em 09/05/2005

Li o artigo: “Hipocrisia” do leitor Lair Estanislau Alves de 30/04/2005 e decidi dar a minha opinião sobre o assunto. O irmão Lair defende o aborto e até condena o Código Penal como das mais cruéis injustiças porque o mesmo classifica o aborto como infanticídio.
Para mim o aborto é um dos mais cruéis crimes e às vezes realizado de uma forma bem secreta, pois é um vil ato contra a vida de um ser ainda indefeso, que deveria ser fruto de um ato de amor. Todo crime gera uma dívida e toda dívida tem que ser paga, assim está na lei e lei é lei.
Se uma gestante não soube agir com responsabilidade antes de engravidar será se irá agir com responsabilidade depois, como pensa o irmão Lair? Ele deseja que seja dado a gestante o direito de decidir em querer ou não o feto em seu ventre. Irmão, a pobreza não é sinônimo de marginalidade, conheço muitas famílias pobres que são muito mais honestas do que muitas ricas.
Agora, irmão, faço-lhe esta pergunta se você já pensou se sua mãe o tivesse abortado enquanto você tinha alguns meses como feto? Muitas obsessões têm início após o criminoso ato do aborto, pois colhe-se aquilo que semeia. Cada um recebe de volta tudo conforme foi feito de bom ou não. Cada um é o único responsável por suas vitórias e derrotas, ou se quiserem por sua salvação.
Por tudo isso é que defendo que a solução de muitos problemas só virá quando for feita a união perfeita das religiões com a ciência.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 02/05/2005.


105 - Criação e evolução - Publicado em 17/05/2005

Parabéns ao ecohistoriador e professor Arthur Soffiati pelo artigo: “Evolucionismo, criacionismo e desenho inteligente” de 11/05/2005, pois só iremos aprendendo cada vez mais quando temos a liberdade de pensar e coragem para usar de toda a nossa capacidade mental.
Há alguns anos um testemunha de Jeová emprestou-me um livro para ler: “A Vida – Qual a sua Origem? A Evolução ou a Criação?”. Os autores deste livro negam por convicção a evolução e defendem a criação, mas no próprio livro está apresentada a tese da evolução.
O professor Arthur Soffiati nega a criação. Eu defendo que tudo se evolui depois de ter sido criado, então existe criação e evolução. Nunca podemos negar algo só porque não temos conhecimento do assunto. Deus, o criador incriado, iniciou a criação, sendo assim o primeiro criador. Todo ser criado também pode se transformar em criador, surgindo assim os falsos deuses e Deus sempre respeita plenamente a liberdade de todos.
A fórmula evolutiva de Darwin: “Sobrevive o mais apto” foi substituída por Teilhard de Chardin, um teólogo evolucionista, pela fórmula: “Sobrevive o meais complexo”. Eu defendo que “sobrevive o mais sábio e o mais forte”, pois um sábio forte nunca irá destruir ninguém, mas sempre será respeitado ou até temido pelos mais fracos, pois estes temem a derrota e o sábio forte sobreviverá.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 16/05/2005.