segunda-feira, novembro 28, 2005

Artigos do Rosário:

106 - Evolução cósmica - Publicado em 24/05/2005

Parabéns ao jornal O TEMPO pela fantástica entrevista com o senhor Luiz Gonzaga Scortecci de Paula no dia 17/05/2005: “Transição planetária segundo os ETs”. Realmente existem muitas transferências de seres pensantes entre os diversos sistemas planetários do cosmo. O objetivo primordial de cada ser é a sua evolução ou a conquista da perfeição. Quando um aprende ele procura ensinar aos outros e ai toda a comunidade vai se harmonizando, permitindo assim a evolução e a convivência pacífica entre todos os sistemas de vida no cosmo e o planeta terra é um desses sistemas. Muitos dos atuais habitantes da terra iniciaram suas caminhadas evolutivas em outras galáxias e por causa da evolução do cosmo hoje eles estão aqui.
Só consegui a minha libertação mental quando descobri quem sou, de onde vim, para o quê estou aqui e para onde irei. Perdi o medo de tudo e passei a viver realmente livre.
A nossa constituição física está passando por importantes transformações e muitas experiências já vividas por alguns seres dificilmente serão aceitas pelo atual estágio das nossas ciências e até por nossas atuais religiões, que ainda se escondem na ignorância da fé, no labirinto dos milagres e mistérios.
Como prova do que estou escrevendo digo que no dia 02/02/1991, após fazer um envolvente trabalho mental com o objetivo de por um fim na Guerra do Golfo, recebi um fulminante ataque do plano astral e tive uma parada de coração por várias horas, mas caminhei, dirigi carro e alimentei com líquidos. No exato momento só contei a experiência para a minha esposa, pois decidi que tudo teria que ficar em segredo e não queria ser cobaia da medicina.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 19/05/2005.

107 - Barra pesada - Publicado em 29/05/2005

Parabéns pelo artigo do “magazine” de 22/05/2005, onde se comenta os trabalhos de gravação do filme “Batismo de Sangue”.
Toda vez que leio algo sobre os acontecimentos de 1964 até ao início da década de oitenta, discordo em parte dos que escrevem condenando tudo o que aconteceu por parte dos militares, que tinham a responsabilidade de proteger o povo. Eu tenho uma cicatriz na clavícula esquerda, resultado de uma cacetada, que foi obra de um agente do DOPS e eu não tive nenhuma culpa, apenas era aluno da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG.
A maioria dos revolucionários, que foram para a clandestinidade, não eram santos e nem santas. Todos estes eram doutrinados para matar, pois o objetivo era a conquista do poder central pelas forças revolucionárias. Eles aprenderam que tinham que matar, pois esta era a única solução e isso nunca foi democracia em lugar nenhum. Hoje algum cubano em Cuba pode levantar a voz contra o Fidel Castro e continuar livre ou até vivo? Os guerrilheiros de Fidel tomaram o poder do ditador Batista e colocaram outro no lugar. Alguém sabe me contar quantos europeus do leste morreram durante os regimes comunistas, que foram implantados pela força dos tanques, das armas e das matanças? Este era o regime que queriam trazer para cá.
A solução sempre esteve na vivência harmônica de todos com muito amor e respeito, na divisão perfeita entre todos os indivíduos do valor da produção de uma comunidade, mas isso ainda não está sendo praticado no nosso Brasil. O atual governo central só defendia estes princípios antes de terem o poder nas mãos. Falar é muito fácil, o difícil é fazer.
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 23/05/2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário