quinta-feira, setembro 22, 2005

Notícias do Maranhão

Pesquisando jornais de São Luís na Internet sobre a nomeação de Dom José Belisário achei estas notícias abaixo:

Novo Arcebispo Metropolitano de São Luís é de Minas Gerais

da Redação - Jornal "O Imparcial" - www.oimparcial.com.br

O próprio Dom Paulo Ponte leu, na manhã de desta quarta-feira, a carta, vinda diretamente do Vaticano, em que anunciava o nome de seu sucessor na liderança do episcopado metropolitano de São Luís. Dom José Belisário Silva, que era bispo de Bacabal, passará a exercer a função.

Segundo Dom Paulo Ponte, desde novembro de 2004 ele havia notificado ao próprio Papa, então João Paulo 2º, que não possuia mais condições de exercer o espicopado em São Luís. Dom Paulo alegou que não estava muito bem de saúde. Os médicos descobriram que ele possuía uma fibrose pulmonar. Além de já está bem avançado em idade. o Arcebispo ficou por mais de 21 anos no cargo em em São Luís.

"Achava que tinha chegado o momento de dar um arcebispo mais jovem a São Luís", afirmou Dom Paulo, que disse também que coube ao Papa Bento XVI validar sua saída.

Dom Paulo continuará como Bispo Emérito de São Luís, e exercerá a chefia do episcopado metropolitano até que Dom Belisário Silva assuma o cargo, o que deve acontecer no final do mês de novembro, quando acontece a festa do Cristo Rei.

DOM JOSÉ BELISÁRIO

Dom José Belisário da Silva, Bispo de Bacabal, nasceu em Carmópolis de Minas, na Diocese de Oliveira (Brasil) a 4 de agosto de 1945. Freqüentou a escola elementar e secundária no Seminário Santo Antônio, em Santos Dumont, no Estado de Minas Gerais. Cursou Filosofia na cidade de Daltro Filho, no Estado do Rio Grande do Sul, no Instituto Franciscano, e fez o curso de Teologia no Instituto Central de Teologia de Belo Horizonte. Obteve a Licença em Filosofia pela Faculdade de Divinópolis, em Minas Gerais.

Vestiu o hábito franciscano a 11 de fevereiro de 1963, iniciando o ano de Noviciado; a 2 de fevereiro de 1964 emitiu os votos temporários. Fez a Profissão solene a 2 de fevereiro de 1969 e foi ordenado sacerdote a 13 de dezembro de 1969.

Desempenhou o cargo de Vigário Paroquial na Paróquia de Abaeté e na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Teófilo Otoni; foi Secretário e Ecônomo Provincial; Mestre dos estudantes de Filosofia; Diretor administrativo e Mestre dos Postulantes em São João Del Rei; Definidor Provincial. Atualmente era Reitor do Seminário Seráfico Santo Antônio, em Santos Dumont, Diocese de Juiz de Fora.

Atualmente o Ministro geral da Ordem o havia nomeado Visitador geral para a Província da Imaculada Conceição no Brasil, e ele já havia começado a visitar os frades.

Dom José será o 30º bispo de São Luís e o 7º Arcebispo Metropolitano da Capital.

21/09/2005 - 07:44 - Nota ilustrativa - Por dom Paulo Ponte

Caríssimos Dom Geraldo, meu querido Bispo Auxiliar, e demais Bispos do Maranhão, Prezados Presbíteros, Religioso(a)s, Seminaristas e Leigo(a)s da Arquidiocese de São Luís,

Em novembro de 2004, tinha comunicado aos participantes da Assembléia Arquidiocesana de Pastoral ter dirigido ao Papa João Paulo II o meu pedido de renúncia ao governo da Arquidiocese de São Luís, explicando-lhe estar convencido de que o § 2 do Cânon 401 do Código de Direito Canônico expressava exatamente o meu caso: “O Bispo Diocesano que, por doença ou por outra causa grave, se tiver tornado menos capacitado para cumprir seu ofício, é vivamente solicitado a apresentar a renúncia ao ofício”.

Encontrava-me fragilizado por uma fibrose pulmonar, bloqueado na criatividade e iniciativa, um tanto angustiado, não tendo as condições para enfrentar eficazmente os atuais desafios pastorais e financeiros da Arquidiocese de São Luís. Achava que tinha chegado o momento de dar a São Luís um Arcebispo mais jovem, sadio, dinâmico, jeitoso e criativo.

João Paulo II estava também fragilizado. Sua saúde vinha definhando, até que foi encontrar-se com o Senhor Jesus, no céu, no dia 2 de abril de 2005. Coube a Bento XVI, seu sucessor, acolher o meu pedido de renúncia e nomear o meu sucessor. A notícia destas duas decisões pontifícias, conforme a carta do Sr. Núncio Apostólico, datada de 14 de setembro de 2005, só deveria ser publicada na data de hoje, 21 de setembro, quarta-feira, às 12 horas de Roma. É o que eu acabo de fazer agora, logo depois das 7 horas da manhã, em São Luís, como de costume, através da querida Rádio Educadora.

A partir deste momento, não sou mais Arcebispo Diocesano de São Luís, mas somente Arcebispo Emérito, devendo, porém, permanecer como Administrador Diocesano até a posse do meu sucessor que escolheu, como data preferida para a sua posse, dentro de dois meses, a Festa de Cristo Rei, no fim de novembro.

Numa Diocese, o motivo principal de preocupação não deve ser o cargo e a saúde do Bispo mas o bem pastoral e espiritual das ovelhas a ele confiadas. É por esse motivo que muito me alegro com a nomeação de um novo Arcebispo saudável e bem disposto para São Luís, Dom José Belisário da Silva, até agora Bispo de Bacabal.

Convido a todos os meus diocesanos a se unirem ao meu agradecimento ao único Bom Pastor, Jesus, por tudo o que Ele realizou em São Luís, através de mim, seu pastor auxiliar, com a colaboração dos meus dois Bispos Auxiliares, Dom Xavier e Dom Geraldo, por mais de 21 anos. Escutem também o meu pedido de perdão a Ele e a todos vocês. Como São Paulo, nem sempre consegui fazer só o bem que queria, deixando-me atingir também pelo mal que não queria. Foi preciso que eu reconhecesse a minha timidez e as minhas fragilidades para que nelas se manifestasse a força da misericórdia do Senhor. Se, nas

pregações, dei testemunho até emocionado de Jesus, nem sempre ele foi acompanhado de um testemunho de vida totalmente fiel ao seguimento radical de Jesus. Não me parece ter atendido com inteira fidelidade ao seu convite: “aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração”.

Mas o mais importante, hoje, é agradecer à Trindade Santa pelo dom de Dom José Belisário da Silva à Arquidiocese de São Luís. A 1°/12/1999, Dom Belisário já fora nomeado Bispo de Bacabal por solicitação de alguns Bispos do Maranhão. Sou-lhe grato pela sua disponibilidade a deixar a sua terra querida, Minas Gerais, para vir pastorear uma porção do rebanho de Jesus, no Maranhão. Frade Franciscano Menor, veio para cuidar de Bacabal, uma Diocese que, desde a sua criação, estava confiada aos Filhos de São Francisco. Depois de uma relativamente curta mas fecunda experiência de quase seis anos de episcopado, atendeu aos apelos de Deus e da Igreja do Maranhão, aceitando o cargo de Arcebispo Metropolitano de São Luís. Eu tinha percebido que alguns de seus confrades e colegas bispos desejavam que ele fosse continuar o exercício do seu pastoreio episcopal em Minas Gerais, sua terra. Mais uma vez, deixando-se guiar pelo Espírito do Senhor, “como se visse o invisível”, (é este o seu lema episcopal), renunciou à sua terra e , procurando ver Jesus, caminho, verdade e vida, aceitou como vontade de Deus tornar-se o Metropolita da nossa Arquidiocese, atendendo a outro apelo dos seus irmãos Bispos do Maranhão.

Em 1745, o sexto Bispo do Maranhão, Dom Manuel da Cruz, cisterciense, foi transferido de São Luís para Mariana, tornando-se o primeiro Bispo de Minas Gerais, depois de uma viagem que durou mais de um ano. Agora, Dom José Belisário, mineiro franciscano, torna-se o 30° Bispo e 7º Arcebispo de São Luís do Maranhão, depois de percorrer apenas 250 quilômetros de asfalto.

Atentos à Palavra de Deus, acolhamos com a obediência da fé, a ternura da caridade e a consolação da esperança, o nosso irmão Dom José Belisário, servo de Cristo Jesus, apóstolo pela vontade de Deus, escolhido para ser pastor e pescador de homens e mulheres, em vista do Reino de Deus, proclamado pelo Evangelho, na nossa Igreja particular de São Luís.

São Luís, Rei de França, padroeiro principal da Arquidiocese de São Luís, Nossa Senhora da Vitória, Titular da Catedral, e São José de Ribamar, Protetor dos maranhenses, amparem Dom Belisário no seu novo pastoreio. E que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam sempre com ele e suas novas ovelhas.

“Amém! Vem, Senhor Jesus!” (Ap. 22,20)




Nenhum comentário:

Postar um comentário