quarta-feira, setembro 07, 2005

Falecimento de Frei Alexandre.


Segue abaixo o e-mail enviado pelo Frei Jacir.

Caríssimos Confrades,
Paz e bem!
Mais uma vez, a irmã morte nos visita, pela quarta vez, em menos de dois meses. Na madrugada do dia 7 de setembro de 2005, no Hospital São João de Deus, em Divinópolis (MG), faleceu o nosso confrade Frei Alexandre Noordeloos. Ele já estava internado há alguns dias e veio a falecer vítima de pneumonia dupla. Rezemos por ele, para descanse em paz, em Deus. A missa de corpo presente será às 15 h., em Divinópolis. Logo em seguida, o corpo será levado para Areias, onde será sepultado.
Frei Alexandre Noordeloos nasceu no dia 19 de junho de 1914, na cidade de Grotebroek, na Holanda. Viveu 91 anos. Fez seus Votos Solenes na Ordem Franciscana em 1937. ainda na Holanda. No mesmo ano, veio morar em Divinópolis, onde recebeu a Ordem do Presbiterato, no dia 22 de outubro de 1939. Em 1940, Frei Alexandre foi transferido para Santos Dumont. Ele foi um dos co-fundadores do Seminário Seráfico Santo Antônio. No ano seguinte, Frei Alexandre foi morar em São João Del Rei, depois Belo Horizonte, Pirapora, Cordisburgo e, por fim, em Pará de Minas, no ano de 1945, onde permaneceu até 1960, trabalhando como professor. A morada seguinte foi Cascadura, no Rio de Janeiro, até o ano de 1962. Em seguida, Frei Alexandre trabalhou por dois anos em Betim, no pré-Seminário. Em 1965, esteve novamente em Pará de Minas. Em seguida, ele foi transferido para Teófilo Otoni, no ano 1966, para trabalhar no Colégio São José. Transferido para a cidade de Corinto, Frei Alexandre aí viveu até 1974. Depois, morou em Cordisburgo, Ritápolis, Visconde do Rio Branco, Belo Horizonte, Juiz de Fora. Em 1980, voltou para Divinópolis. Em 1983 estava em Belo Horizonte. Em 1984 a 1986, em Abaeté. Depois, viveu novamente em Belo Horizonte (Convento São Bernardino), Betim (Convento e Colônia) e Ubá. De volta a Divinópolis, aí residiu de 1992 a 2001. Em Betim, depois de ficar um semestre em São João Del Rei, esteve de junho de 2001 a janeiro de 2004. A sua última transferência foi Divinópolis, em 2004, onde iniciou a sua vida missionária, em 24 de outubro de 1937. Frei Alexandre Noordeloos, obrigado pela sua presença no meio de nós. Que Deus o recompense pela sua dedicação. Vamos recordar sempre do Senhor com saudades.
Frei Jacir de Freitas Faria
P/ Equipe Provincial de Comunicação
Caros Confrades,
abaixo, seguem também duas outras Notas de Falecimento, enviada por Frei Eliseu, notificando a morte de Frei Ludovico Simis e Frei Odulf Mous, ocorridas na Holanda.

FALECIMENTO DE
FREI LUDOVICUS SIMIS, OFM

Recebemos da Província da Holanda, a comunicação de que faleceu no dia 31 de agosto de 2005, em Weert , o nosso confrade frei Ludovicus Simis.

Após uma vida longa de grande fé, duma cordialidade que cativava a todos e de trabalho sem parar, faleceu frei Ludovicus com 96 anos de idade. Ele foi o nosso confrade desde 1931. De muitas maneiras, serviu à fraternidade em trabalhos variados nas nossas comunidades. Os últimos anos de sua vida, ele se encontrava na Casa de Idosos São Jerônimo, em Weert, onde foi carinhosamente tratado.

No dia 06 de setembro celebrou-se na igreja da Casa de Idosos São Jerônimo, a santa missa de exéquias seguida pelo sepultamento no cemitério da Igreja de São Martinho, de Weert.

Que nosso confrade descanse em paz! ( Ass. frei Eliseu Tijdink, ofm)

FALECIMENTO DE FREI ODULF MOUS, OFM

Recebemos da Província da Holanda, a comunicação de que faleceu no dia 2 de setembro de 2005, em Alverna/Wijchen, com a idade de quase 89 anos, o nosso confrade frei Odulf Mous.

Frei Odulf foi o nosso confrade desde 1939 Durante longos anos trabalhou como missionário em Nova Guiné (atualmente Papúa). A partir de 1993 veio morar em nossa fraternidade de Leiden e depois em Wijchen .

No dia 07 de setembro celebrou-se na capela da Casa de Idosos “La Verna” (Wijchen), a a santa missa de exéquias seguida pelo sepultamento no cemitério daquela comunidade.
Que nosso confrade descanse em paz! ( Ass. frei Eliseu Tijdink, ofm)

Um comentário:

  1. Frei Alexandre foi o meu primeiro mestre, ainda em Betim, quando estive inaugurando o juvenato (fiz lá o curso de admissão ao ginásio). Nesta turma estavam Jairo Saliba, Manoel Faria, Modesto, Henrique, Omar, Themistócles entre tantos outros colegas. Alguns seguiram para Santos Dumont no ano seguinte. De Betim, os Freis Cirino e Edmar Deus já havia requisitado há mais tempo. Agora leva o Frei Alexandre meu primeiro mestre e de quem herdei a formação básica para minha vida. Obrigado, Frei Alexandre.

    ResponderExcluir